This page is part of © GIRAFAMANIA website / Esta página é parte do sítio GIRAFAMANIA

REPÚBLICA DAS ILHAS MARSHALL (21/10/1986)

Lema: “JEPILPILIN KE EJUKAAN” (“Sucesso e/ou Melhoria através do esforço conjunto”, em marshalês), que aparece na base do Brasão de Armas.
“Accomplishment Through Joint Effort” (inglês) – “Logro por Medio del Esfuerzo Conjunto” (espanhol) – “Vervollkommnung durch gemeinsame” Anstrengung (alemão)
Hino Nacional (National Anthem): Forever Marshall Islands (letra e música do 1º Presidente Amata Kabua)

Bandeira Nacional da República das Ilhas Marshall: Adotou sua própria bandeira após o início do autogoverno em 01/05/1979, quando entrou em vigor a Constituição Marshalesa e momento em que o Parlamento escolheu o primeiro presidente do país. Em comum com outras nações insulares da região, a bandeira exibi uma representação simbólica das ilhas no Oceano Pacífico, o qual também está representado pelo fundo azul. A banda subindo em diagonal representa o Equador e a estrela acima reflete o arquipélago no Hemisfério Norte. As faixas branca e laranja significam, respectivamente, duas cadeias de atóis: a cadeia Ratak (Ratak Chain), cujo apelido é Nascer do Sol (Sunrise), e a cadeia Ralik (Ralik Chain), Pôr do Sol (Sunset). O simbolismo comum atribuído ao laranja como a cor de bravura e ao branco como a cor da paz são reconhecidos. A estrela representa ainda a cruz do Cristianismo, com cada um dos 24 pontos significando um município ou distrito eleitoral do país, enquanto as quatro pontas alongadas retratam os principais centros distritais e culturais: Majuro (a capital), Jaluit, Kwajalein (Ebeye) e Wotje, que servem como governos locais. Foi desenhada por Emlain Kabua, primeira mulher das Ilhas Marshall que teve o título de Primeira-Dama, esposa do primeiro Presidente da República Amata Kabua (1928-1996), o qual governou por vários mandatos consecutivos de 1979 a 1996.

Envelope de primeiro dia de circulação (Official First Day Cover – FDC), alusivo a Bandeira Nacional das Ilhas Marshall (National Flag of the Marshall Islands), cujo selo aposto com valor facial de 33c foi obliterado na capital Majuro em 05/02/1999. Scott: 748.

Outras bandeiras: Anteriormente administrada pelos EUA, as ilhas utilizaram a bandeira daquele país e também a bandeira do Protetorado das Ilhas do Pacífico das Nações Unidas. Uma bandeira da organização alemã (baseada na bandeira alemã da época), a Companhia Jaluit, que governou Marshall no final de 1800 foi usada até 1906. Parece que existe ainda uma bandeira adotada em 1987 pelo atol de Bikini, que representa a responsabilidade do governo americano às vítimas dos testes nucleares nas Ilhas Marshall...

Brasão de Armas: A característica central do Selo Nacional é o Pássaro ou Anjo da Paz (Bird of Peace, Angel of Peace) estilizado, com asas estendidas (uma referência ao Cristianismo). Acima do anjo aparece a estrela de 24 pontas ladeada por raios diagonais que representam as duas cadeias de atóis que formam Marshall. Uma rede de pesca faz alusão ao peixe como principal alimento da dieta do povo marshalês, assim como indica um importante meio de subsistência dos ilhéus. Outros aspectos significativos da cultura marshalesa são as canoas tradicionais e as antigas cartas de navegação feitas de varetas, ambas são apresentadas: uma canoa à vela navega no oceano e um mapa náutico estilizado aparece na parte inferior (simbolizando as raízes tradicionais e habilidades de navegação); embaixo desse gráfico está um listel com a palavra Selo (SEAL). Uma ilha com coqueiros remete à todas as Ilhas Marshall que estão situadas em baixos atóis, cuja altura média é de cerca de 2 metros acima do nível do mar. Sobre a asa direita do anjo há uma espécie de pilão (pounder) feito de uma concha gigante de molusco (talvez: Tridacna gigas), estimada por cada família que a possui. Tal ferramenta é utilizada para socar as folhas de pandanus (árvore tropical, semelhante a palmeira), transformando-as em fibras, as quais são usadas para fazer tapetes, velas e, tradicionalmente, roupas. A borda do selo redondo é uma união em cadeia e simboliza que as ilhas são todas ligadas entre si, também a unidade política da nação, metade da cadeia representa o grupo Ralik e a outra metade Ratak. Dentro do anel rodeia uma banda branca em volta do escudo onde se lê na parte superior República das Ilhas Marshall (Republic of the Marshall Islands) e embaixo o lema nacional.

Envelope de primeiro dia obliterado em Washington DC em 28/09/1990, cujo cachê mostra o Brasão de Armas ou Selo Nacional e a Bandeira, emitido em homenagem ao Estado soberano, pois embora tenha um autogoverno desde 1979, o ex-Território dos EUA foi considerado independente apenas em 1990... O selo com valor facial de 25c mostra três elementos: Carta de varetas (wapepe / Stick Chart), Canoa Guiga (Outrigger Canoe) e Bandeira da República das Ilhas Marshall (Flag of the Marshall Islands).

Nota: Há uma série em formato se-tenant que foi emitida em 04/07/2000, com 4 valores iguais de 33c cada selo, “National Government”, cujos selos mostram: Nitijela (National Parlament), Capitol Building, National Seal e National Flag. Scott: 748 (748a/748d). A pintura do Selo Nacional, feita pelo artista americano Ren Wicks (1911-), foi publicada originalmente em um selo com valor facial de 29¢ emitido em 11/08/1993.

Republic of the Marshall Islands (RMI)
Capital – Majuro (Majuro Island, Majuro Atoll).
Religião – Cristianismo 98,6% (protestantes 90,1%, católicos 8,5%), outras 1,4% (1973).
Estatus político – Governo democrático com livre associação com os Estados Unidos.
Moeda (numismática) – dólar norte-americano (USD).

Não é propriamente independente; embora tenha a constituição de uma república, este território é um “Estado Livremente Associado” aos Estados Unidos da América. Os chefes tribais dominam a política. Apesar das belas praias, as ilhas têm infra-estrutura turística precária. Sua economia depende, até hoje, da ajuda dos norte-americanos, que mantêm uma base de mísseis nos atóis de Kuajalein. A lagoa formada é usada como alvo para testes de mísseis de longo alcance disparados desde a Califórnia.

Bloco emitido em 1987 alusivo a exposição filatélica CAPEX’87, Aniversário de 50 Anos do Voo de Amelia Earhart 1897-1937 (Earhart Flight Anniversary). Honolulu é mostrado ao norte da ilha Howland, mas na verdade está 1.700 milhas a nordeste. No canto superior direito, a partir de Honolulu, há uma linha vermelha que também vem da esquerda do bloco, e parece querer mostrar o percurso de uma tentativa anterior de circunavegar o globo, de leste a oeste, que teve de ser cancelado quando o avião foi danificado decolando em Honolulu... A impressão que deixa é a de que Honolulu foi o lugar onde a tentativa de circunavegação começou, quando, na verdade, começou em Miami (Flórida) e alcançou Lae (Nova Guiné), antes de desaparecer no trecho para Honolulu... Scott: 142.

1987 - Scott: 142.
volta ao topo

História

Embora as Ilhas Marshall tenham sido povoadas por micronésios no segundo milênio antes de Cristo, pouco se sabe da história primitiva das ilhas... O explorador espanhol Alonso de Salazar foi o primeiro europeu a avistar o lugar, mas as ilhas permaneceram virtualmente sem ser visitadas durante vários séculos, até à chegada do capitão inglês John Marshall em 1788, que deu o seu nome às ilhas.

Uma companhia comercial alemã fixou-se nas ilhas em 1885, e alguns anos mais tarde elas tornaram-se parte do protetorado da Nova Guiné Alemã. Em 1886, o Papa Leão XIII dá a posse das ilhas à Espanha, mas garante os direitos comerciais da Alemanha – país que acaba comprando as ilhas da Espanha em 1899.

O Japão conquistou as ilhas na Primeira Guerra Mundial (1914) e passou a administrá-las sob mandato da Liga das Nações. A Marinha dos Estados Unidos invade e ocupa as ilhas em 1944-1945. Depois, com a derrota japonesa na II Guerra Mundial, em 1947, as ilhas passaram a fazer parte do Consórcio dos EUA, como Território das Ilhas do Pacífico sob tutela das Nações Unidas.

Os EUA começaram a realizar testes nucleares nas ilhas logo depois da guerra, prolongando-os até à década de 1960. Devido aos testes, muitos marshaleses adoeceram com elevados níveis de radiação, e até hoje há pedidos de compensação...

Em 1979, foi estabelecida a República das Ilhas Marshall. Em 1983, Marshall assinou um Acordo de Livre Associação com o governo dos Estados Unidos, que entrou em vigor em 1986. Nos termos desse Pacto, o país é plenamente soberano nos assuntos nacionais e estrangeiros, mas dá a responsabilidade da defesa para os Estados Unidos.

Há nas ilhas um forte movimento ambientalista, que luta principalmente pela recuperação do atol de Bikini, contaminado pelos testes nucleares dos EUA.

Em julho de 1994, documentos liberados pelo Departamento de Energia norte-americano provam que os habitantes das ilhas foram expostos a altos níveis de radiação para que se testassem seus efeitos sobre a saúde da população. Um relatório de cientistas japoneses publicado no início de 1995 revela que 40% dos antigos habitantes do atol de Rongelap têm câncer...

Em novembro de 1995, o Presidente Amata Kabua, no poder desde 1979, é reeleito. Durante seu governo, em fevereiro de 1996, é aprovada a introdução do jogo nas ilhas, para tentar dar ao país uma nova fonte de receita. Em dezembro de 1996, Kabua morre aos 68 anos de problemas no coração. Em 14/01/1997, a Nitijela (Parlamento) elege o primo do falecido presidente, Imata Kabua, para sucedê-lo no governo.

O Pacto de Livre Associação com os Estados Unidos terminou em 2000, após o qual um novo acordo foi negociado e assinado em 01/05/2004, coincidentemente, dia em que o povo das Ilhas Marshall estavam comemorando o 25º aniversário da República da Ilhas Marshall.


História Postal

Antes do serviço de correio a correspondência das Ilhas Marshall era realizada a pé e de canoa. Cartas trocadas entre os chefes incluia um presente, como um item artesanal de pandanus, escolhidos de acordo com a posição social do destinatário... Mesmo a roupa do mensageiro era ditada pelo status do destinatário... Selos alemães, japoneses, da Marinha de Guerra Americana (US Navy), do Departamento do Correio dos EUA (US Post Office Dept.) circularam no territótio antes da Independência do Serviço Postal das Ilhas Marshall, ocorrido em 1984. Hoje, o país integra ao sistema de distribuição postal dos Estados Unidos...

Selos foram emitidos pela Alemanha entre 1897 a 1916. Emissões da República das Ilhas Marshall sob domínio alemão são genuínas. O primeiro selo postal foi emitido em 1897 (Scott: 1, SG: G1), com valor facial de 3 pf (marrom), este selo foi remarcado com a sobrecarga “Marschall Inseln” em um selo da Alemanha (imagem no centro da tela).

Do lado esquerdo da tela, bloco com valor facial de $1 dólar, cuja imagem mostra uma agência postal alemã em Jaluit, “German Post Office At Jaluit”, e o selo mostra o primeiro carimbo postal alemão das Ilhas Marshall, “1st Marshall Islands Postmark” (Jaluit Marschall-Insein 29/03/1889). Scott: 231. Do lado direito da tela, o primeiro selo impresso com o nome foi emitido em 1901, com valor facial de 3 pf (marrom). Scott: 13. O mesmo desenho foi usado em todo Império Colonial Alemão. Estes selos mostram o iate Hohenzollern, pertencente ao Kaiser Wilhelm II.

Várias emissões foram imprimidas em 1979 – antes do estabelecimento do serviço postal independente de 1984 – porém são consideradas questionáveis... Selos genuínos são emitidos pelas Ilhas Marshall desde 1984. Em 1984, a República das Ilhas Marshall estabeleceu a sua própria administração postal do correio nacional e emitiu seus primeiros selos. O país tem emissões postais alusivas a grandes acontecimentos do século XX, por exemplo.

O primeiro selo postal (abaixo) marca a Inauguração do Serviço Postal Independente das Ilhas Marshall – Acordo Postal com os EUA (Inauguration of Postal Independence Marshall – US Postal Agreement), emitido em 02/05/1984 (Scott: 31/34, SG: 1), com valor facial de 20 centavos. Os 4 selos da série mostram: canoa à vela típica de regata chamada Canoa Guiga (Outrigger Canoe), Rede de Pesca (Fishnet), Carta de varetas (Stick Chart) e Ilhota (Islet).


(58k)


FILATELIA

População: 58,5 mil (1996); composição: micronésios 95%, polinésios 5% (1996), compõem a população de nacionalidade marshalina. Gentílico: marshallino.

Os idiomas oficiais são inglês e marshalês (Marshallese), mas línguas regionais também são faladas pelos marshalleses. O idioma marshalês, também escrito Ebon (Marshallese language: Kajin M̧ajeļ ou Kajin Majõl) é uma língua malaio-polinésia (Malayo-Polynesian) e uma das línguas oceânicas, do grupo de línguas austronésias (Austronesian), falada nas Ilhas Marshall. Existem dois dialetos principais: Ralik (ocidental) e Ratak (leste), cuja diferença entre ambos é pequena.

► “Girafa” em diferentes línguas nas Ilhas Marshall – ? (marshalês) – giraffe (inglês)
► Girafas em Zoológicos da Oceania

Abaixo, série em folha vertical de 24 selos com valor facial de 33¢ centavos cada, emitida em 14/09/1998, “Marshallese Alphabet and Language”. Scott: 668 (668a/668x). Há outra série similar, emitida posteriormente em folha horizontal, de 24 selos com valor facial de 44¢ centavos cada.... Nota: Como será que se grafa a palavra girafa em marshalês?

A a – Amata / First Name of First President / primeiro nome do 1º presidente
A a – Aj / To Weave / para tecer, tecelã
B b – Babbub / Butterfly / borboleta
D d – Deq / A Beautiful Young Lady / uma bela jovem

E e – Ek / Fish / peixe
I i – Iqkwe / You Are a Rainbow / você é um arco-íris
J j – Jaki / Mat / tapete
K k – Imon Kien / House of Government / Casa do Governo

L l – Loktanur / Capella, Mother of All Great Stars / mãe de todas as grandes estrelas
L l – Lokwajek / Red-tailled Tropic Bird / ave tropical de cauda vermelha
M m – Ma / Breadfruit / fruta-pão
M m – Makmok / Arrowroot Plant / araruta (planta cuja raiz tem fécula alimentícia)

N n – Ni / Coconut Tree / coqueiro
N n – No / Ocean Wave / onda
N n – Niin-pako / Shark Tooth / dente de tubarão
O o – Ok / Fish Net / rede de pesca

O o – Eq / Tattoo / tatuagem
O o – Oo / Lionfish / peixe-leão
P p – Pejak / Visitor’s Hut / cabana de visitantes
R r – Raj / Whale / baleia

T t – Tipnol / Outrigger Sailing Canoe / canoa à vela guiga
U u – Urur / Fire / fogo
U u – Ulin-raj / Dorsal Fin of Whale / barbatana dorsal de baleia
W w – Wojla / Woven Pandanus Leaf Sail / vela tecida com folhas de pandanus


2008

29/04/2008 – Série “Constelações” (Constellations) emitida sobre folhinha de 20 selos (5 × 4), com valor facial de US$ 0,41 centavos de dólar cada (41¢). Designer: D. Zoe Seemel, Artwork by Fritz Wegner (artista dos selos). First Day Cover Design: Herb Kawainui Kane. Método de Impressão: Ofsete. Impressão: Pioneer Printing, Cheyenne, Wyoming, U.S.A.

Mais da metade das constelações oficialmente reconhecidas foram primeiramente identificadas nos tempos antigos, enquanto a maioria das 40 restantes, que agora são aceitas, foram adicionadas pelos astrônomos europeus nos séculos 18 e 19. Hoje, a União Astronômica Internacional (International Astronomical Union – IAU), fundada em 1919, reconhece 88 constelações oficiais, cada uma com suas próprias fronteiras precisamente definidas, de modo que cada estrela no céu pode ser atribuída a uma dessas constelações. Estes limites são uma mistura de padrões do grego antigo (registrados por Ptolomeu) e de padrões observados mais tarde pelos astrônomos contemporâneos.

Em 1922, numa reunião em Roma, a IAU adotou o norma de abreviaturas (siglas) de três letras para cada constelação, por exemplo, “And” para Andrômeda, “LMi” para Leo Minor e “CrB” para Corona Borealis. Com obras de arte do artista austríaco Fritz Wegner, os selos mostram vinte das mais fascinantes constelações no céu:

1) Cassiopeia
2) Ursa Major
3) Corvus
4) Camelopardalis
5) Cygnus
6) Andromeda
7) Capricornus
8) Canis Major
9) Dorado
10) Libra
11) Lynx
12) Serpentarius
13) Eridanus
14) Pavo
15) Orion
16) Leo Minor
17) Pegasus
18) Corona Borealis
19) Phoenix
20) Aquarius
volta ao topo

Standard ISO: MH – Adesão UPU: ?

Marshall Islands Stamp Center
Post Office – Majuro 96960
www.unicover.com/agen_rms.htm – www.unicover.com

Marshall Islands Postage Stamps – www.unicover.com/INFP_RMS.htm (selos desde 1984 até hoje)

Fontes (pesquisa dos símbolos nacionais no topo desta página):
Office of the President, Republic of the Marshall Islands (www.rmigovernment.org)
Embassy of the Republic of the Marshall Islands – Washington (www.rmiembassyus.org)

O país está localizado na Micronésia, norte da Oceania, cujos vizinhos mais próximos são: Kiribati (sul), Micronésia (oeste) e a ilha Wake, pertencente aos Estados Unidos (norte). A República das Ilhas Marshall, arquipélago constituído de muitos atóis que incluem os maiores do mundo, é formada por dois grupos de ilhas (Ratak e Ralik), que compreendem 5 ilhas e 29 atóis, cada um composto por muitas ilhotas no oeste equatorial do Oceano Pacífico.

Os atóis e ilhas estão situadas em duas formações de cadeias quase paralelas, conhecidas como o grupo Ratak (Sunrise) a leste e grupo Ralik (Sunset) a oeste. O número total de ilhas e ilhotas é de aproximadamente 1.225, coalhando uma zona marítima de mais de 750.000 quilômetros quadrados. A área total do terreno é de cerca de 180 quilômetros quadrados (181,3 km²), incluindo os atóis de Bikini, Eniwetok e Kwajalein ou Kuajalein (atóis onde há uma base de mísseis dos EUA).

Divisão administrativa: O país é dividido em 24 municípios habitados, correspondentes aos 24 atóis ou ilhas habitadas, onde cada um deles é um distrito eleitoral. As cidades principais são a capital Majuro e Ebeye.

24 municípios em ordem alfabética (entre parênteses os nomes em marshalês): Ailinglaplap, Ailuk (Aelok), Arno, Aur, Ebon (Epoon), Enewetak (Ãnewetak), Jabat (Jebat), Jaluit (Jãlwõj), Kili (Kõle), Kwajalein (Kuwajleen), Lae, Lib (Ellep), Likiep, Majuro (Mãjro), Maloelap, Mejit (Mãjej), Mili (Mile), Namu, Namorik (Namdrik ou Namdik), Rongelap (Roñlap), Utrik (Utrõk), Ujae, Wotje (Wõjjã) e Wotho (Wõtto).

Cadeia de atóis Ralik (14 distritos): Ailinglaplap, Ebon, Enewetak, Jabat Island, Jaluit, Kili Island, Kwajalein, Lae, Lib Island, Namorik, Namu, Rongelap, Ujae e Wotho.
Cadeia de atóis Ratak (10 distritos): Ailuk, Arno, Aur, Likiep, Majuro (capital), Maloelap, Mejit Island, Mili, Utirik e Wotje.

Os 10 atóis ou ilhas restantes são desabitadas:
Cadeia de atóis Ralik: Ailinginae Atoll (Ailiginae), Bikini Atoll (Pikinni), Rongerik Atoll (Roñdik) e Ujelang Atoll (Ujla).
Cadeia de atóis Ratak: Bikar Atoll (Pikaar), Bokak Atoll (Taongi), Erikub Atoll (Ãdkup), Jemo Island (Jemo), Nadikdik Atoll (Nadikdik) e Toke Atoll (Toke).

Parece-me que possui duas agências em Majuro, Ebeye e Jaluit...?

Entrada principal !
Última atualização: 01/03/2011.
volta ao topo

FIJI PAÍSES DA OCEANIA
ILHAS SALOMON