This page is part of © GIRAFAMANIA website / Esta página é parte do sítio GIRAFAMANIA

JOSÉ OITICICA FILHO (1906-1964)

José Oiticica Filho (1906-1964) – cientista e fotógrafo
Hélio Oiticica (1937-1980) – importante artista plástico brasileiro
César Oiticica Filho (1939-) – coordenador do Projeto H. O. no Centro de Artes Hélio Oiticica

Nasceu no Rio de Janeiro em 1906. Pesquisador incansável, começou nas ciências naturais, pesquisando lepdópteros e publicando 63 trabalhos científicos até sua morte, em 1964. Foi através da ciência que Oiticica se interessou pela fotografia.

Começou documentando os insetos que eram objeto de suas pesquisas, aprendendo a fotografar por meio da difícil técnica da microfotografia. A partir daí não parou mais e, à medida que se especializava tecnicamente, foi desenvolvendo o sentido da fotografia como expressão artística.

A partir de 1945 começa a desenvolver a fotografia de forma pura e os primeiros resultados são expostos em mostras internacionais. O sucesso nas exposições pelo mundo e os prêmios recebidos levam a Photographic Society of America a inclui-lo na lista dos 10 maiores fotógrafos do mundo.

Suas imagens são marcadas pela composição perfeita e geométrica, pelo uso maestral do preto e branco, pela definição e contraste insuperáveis.

Influenciado pelos movimentos modernistas, especialmente o Concretismo, passa a desenvolver um trabalho mais elaborado e abstrato, interferindo nas imagens de forma radical.

Nos anos 60 passa a pintar, em um primeiro momento como uma interferência na fotografia, passando depois a construir obras de arte onde o espaço e a cor são tratados de forma vanguardista e arrojada...

Realizou entre tantas outras, a obra “Pôr do Sol na Gávea”, feita em 1947... Abaixo, algumas de suas fotos mais importantes.

“Um que passa” (1953) e “Noturno” (1949)

"Um que passa" (1953) "Noturno" (1949)

volta ao topo

HÉLIO OITICICA (1937-1979)

Nascido no Rio de Janeiro em 1937 e morto aos 42 anos na mesma cidade, Hélio Oiticica é um dos nomes mais representativos dos movimentos artísticos produzidos pela efervescência cultural no Brasil nas décadas de 50 e 60.

Tendo vivido por longos períodos em Londres e Nova York, Oiticica pôde sintetizar em seu trabalho um espírito popular e os mais puros conceitos das vanguardas artísticas internacionais de sua época. Nesta antologia de suas fotos apresentada pela Paparazzi pode-se ver uma amostra rara da abrangência de recursos que utilizou em sua trajetória.

A revista PAPARAZZI apresentou uma reunião de trabalhos fotográficos de três gerações de uma mesma família cujo nome mais conhecido no cenário das artes é o de Hélio Oiticica, um dos mais importantes artistas do chamado experimentalismo no Brasil.

Negando o que seria um talento sem raízes do artista carioca, as fotos de Hélio aqui expostas permitem um paralelo com o trabalho de seu pai, José Oiticica que já teve alguns de seus trabalhos publicados pela Paparazzi em 1996 e cuja sensibilidade formal antecipa muitos elementos consolidados na obra do filho.

Hélio Oiticica Hélio Oiticica

Uma terceira parte fica por conta de Cesar Oiticica Filho, neto de J. O. F., que é o coordenador do Projeto Hélio Oiticica no Centro de Artes Hélio Oiticica (r. Luiz de Camões, 68, Centro, Rio de Janeiro) que cedeu as fotos de Hélio e J. O. F. apresentadas no número.

A edição marca também a inauguração da galeria de rua de Paparazzi que estará expondo de dois em dois meses uma seleção de trabalhos publicados pela revista em frente a sua sede na Av. Pedroso de Moraes. Trata-se de um projeto conjunto elaborado com a Secretaria Municipal de Educação de S. P. que cedeu uma parte externa da E. M. E. I. Pedroso de Moraes para a exibição de trabalhos fotográficos.

CESAR OITICICA FILHO

Teve a infância e adolescência marcadas pelo contato com a diversidade da cultura amazônica. Morou dos 6 aos 18 anos em Manaus onde iniciou suas primeiras experiências com a fotografia aos 13 anos.

Seu aprendizado da técnica fotográfica se deu juntamente com uma interação com as características locais de uma cultura nativa contaminada por elementos consequentes da urbanização.

Suas fotos mostram uma preocupação com questões ligadas à ecologia e à preservação cultural de elementos indígenas. Uma série de fotos feitas em 1993 é resultado do retorno do fotógrafo à região amazônica e de seu contato com índios Yawanawás e Katukinas.

Cesar Oiticica Filho (1993)

Nota: Em 16/10/2009 o primeiro andar da casa dos Oiticicas, no Rio de Janeiro, local que abrigava toda obra de Hélio Oiticica, foi incendiada e um acervo inestimável foi perdido...

Entrada principal !
Última atualização: 23/09/2011.
volta ao topo

FOTO CINE CLUBE BANDEIRANTE PÁGINA PRINCIPAL
FOTO CINE CLUBE BANDEIRANTE