This page is part of © GIRAFAMANIA website / Esta página é parte do sítio GIRAFAMANIA

JARDIM ZOOLÓGICO DE SALVADOR
PARQUE ZOOBOTÂNICO GETÚLIO VARGAS

O Parque Zoobotânico Getúlio Vargas, mais conhecido como Jardim Zoológico de Salvador, foi inaugurado em 1958 (incerto), cumpre importante função social para a comunidade baiana e passou por uma grande reforma, recentemente...

O trabalho além de criar uma melhor infra-estrutura para atender os animais que habitam os 250 mil metros quadrados de área do local, também beneficiou os visitantes com uma melhor estruturação do ambiente e com a construção de uma pista com três mil metros de extensão onde se pode circular à vontade.

No passeio, além de desfrutar da bela paisagem oferecida pela área verde do Zoo, pode-se ver e ter informações sobre os 702 animais que lá existem. Eles estão divididos em 120 espécies, sendo 80% representantes da fauna brasileira.

Além disso, pode se conhecer (46) espécies brasileiras ameaçadas de extinção no seu ambiente natural, o que faz do Zoológico de Salvador uma referência como centro de animais ameaçados de extinção. A ameaça de extinção também levou o Jardim Zoológico a escolher a arara-azul-de-lear como seu símbolo.

O Zoo ainda desenvolve trabalhos de educação ambiental, paisagismo, enriquecimento da área botânica e pesquisas de manejo e reprodução das diferentes espécies. Somente em 1998, foram registrados 119 nascimentos no Zoológico de Salvador. Entre os animais que conseguiram se reproduzir estão a paca, onça-pintada, iguana, jacaré-do-papo-amarelo, cágado-cabeça-de-cobra e a ema.

As espécies que habitam o Zoo contam com ambulatório veterinário, laboratório de análises clínicas, setor de nutrição e setor de quarentena, que abriga os animais em tratamento de saúde e os recém-chegados ao Zoo.

O grupo de mamíferos do Zoo é formado por 150 animais, de 24 espécies nacionais, como veado-catingueiro, por exemplo, e 16 espécies estrangeiras. Pelo menos 15 delas correm o risco de sumir do planeta. No programa de reprodução em cativeiro, 12 mamíferos conseguiram procriar no ano passado. São pacas, queixadas, onças-pintadas e onças-pretas, entre outros.

Existem no Jardim Zoológico de Salvador 179 aves de 54 espécies diferentes. São 46 espécies nacionais, como o gavião-carrapateiro, por exemplo, e 8 estrangeiras. Desse total, 18 estão ameaçadas de extinção. Uma boa novidade é que somente em 1998, nasceram no zoo 30 filhotes de aves, entre eles, ema, urubu-rei, pavão-azul e galinha-d’angola.

Curiosidade: Os exemplares de flamingos do Zoológico de Salvador, por exemplo, foram um presente do Presidente de Cuba, Fidel Castro, ao então governador Antônio Carlos Magalhães...

Algumas Espécies da Fauna Africana que podem ser encontradas no Jardim Zoológico de Salvador: avestruz, cobo-de-meia-lua, grou-coroado, hipopótamo, leão-africano, zebra, entre outros. A partir de um casal de zebras nasceram as crias que compõem o atual plantel do zoológico... uma delas, “Safira”, é mostrada na foto abaixo encontrada na internet...

— Parque Zoobotânico Getúlio Vargas
Registro Ibama: 1/29/2001/000077-9 (parece que foi cancelado...)
Endereço: Rua Alto da Ondina, s/n.º – Ondina – Salvador – Bahia (BA) – CEP: 40017-110
Telefones: (71) 3116-7952, 3116-7954 (Agendamento), 3115-6289, 3115-3836 (Estado da Bahia – www.ba.gov.br)
Funcionamento: de terça a domingo e feriados, das 08h30 às 17h.
zoosalvador@bahia.ba.gov.br – www.zoo.ba.gov.br

Logomarca do Zoológico de Salvador

Todo zoológico tem o seu símbolo e o Jardim Zoológico de Salvador foi buscar na arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari) o seu. Ela foi escolhida por ser uma ave ameaçada de extinção e ainda ser da fauna regional. Esta ave tem o seu habitat natural no Raso da Catarina, região Nordeste da Bahia, onde são encontrados raros indivíduos, e que também convive com o perigo de desaparecer da fauna brasileira. Nota: Série Brasil América Upaep 1993.

Do lado esquerdo da tela, araras-de-lear em fotografia de Glória Jafet / Zoo SP. No centro da tela, logotipo (antigo) com o animal-símbolo do Zoológico de Salvador. O logotipo do lado direito da tela, é mais recente, entretanto não sei quando foi mudado, pois hoje (03/11), depois de muito tempo sem visitar o sítio, vi que a imagem mudou e parece retratar outra espécie de arara, a araraúna (Anodorhynchus hyacinthinus), não parece?...

volta ao topo

História (www.zoo.ba.gov.br/conteudo-ozoo.aspx?p=OZOO)

O Zoológico de Salvador começa a ser construído no século XIX, quando o suíço Frederico Meuron recebe a Fazenda Areia Preta (antigo nome do bairro de Ondina) como indenização pelas perdas na Batalha de Pirajá. Passados alguns anos, Frederico muda-se para o Solar do Unhão e a fazenda entra em um longo processo de abandono.

Até que Francisco Ariane implanta uma locomotiva que partia do Campo Grande em direção ao Rio Vermelho. Nesta mesma época, começam algumas atividades zoobotânicas nas proximidades e, depois, é construído um orquidário no Parque de Ondina.

Aproveitando a topografia favorável do antigo sítio e a beleza da paisagem ao redor, em 1958 através do Decreto Estadual nº. 17.481 é inaugurado o Parque Zoobotânico Getúlio Vargas, atendendo aos desejos da população soteropolitana e atraindo milhares de turistas ao longo dos anos.

Nota Girafamania: Não se sabe a data exata porque o zoológico fechou e abriu diversas vezes; entretanto o ano de 1950 aparece inscrito em um quadro de Getúlio Vargas...

Hoje, o Parque está vinculado à Secretaria do Meio Ambiente do Estado da Bahia – SEMA. Sua área verde é de aproximadamente 250.000 m², devido à incorporação do remanescente secundário de Mata Atlântica, conhecido como Mata do Zoo. Este cenário de grande beleza natural pode ser visto pelo visitante ao circular pelos 3.000 m de pista de passeio do parque.

O Zoo é uma opção de lazer e refúgio ecológico no centro de Salvador, reservado para a exposição de animais silvestres, em especial os ameaçados de extinção e pertencentes à fauna brasileira. De um total de 108 espécies que atualmente habitam o parque, 78 pertencem à fauna brasileira e 18 estão ameaçadas de extinção no seu ambiente natural.

Atividades de preservação e reprodução das diferentes espécies animais são realizadas no Zoo, além de ações de conservação e enriquecimento do fragmento de Mata Atlântica, de paisagismo, de ambientação de recintos e, em especial, de educação ambiental.

O Zoológico de Salvador é hoje um centro de referência e base de apoio a pesquisas de fauna e flora. Entre as suas principais atrações estão os 760 animais, distribuídos em 45 espécies de aves, 38 espécies de mamíferos e 25 espécies de répteis.

Museu (www.zoo.ba.gov.br/conteudo-multiplos.aspx?p=ESTMUS)

O museu do Parque Zoobotânico Getúlio Vargas foi criado em 1979 e desempenha um importante papel educativo. Ele atende a diferentes grupos: adultos, crianças, inclusive portadores de necessidades especiais (deficientes físicos, auditivos, mentais e visuais), que procuram o parque em busca de aprendizagem e também do desenvolvimento de atividades recreativas. Uma característica marcante é que no Parque Zoobotânico se aprende através do lúdico.

A participação de estudantes no museu propicia enriquecimento cognitivo, através da construção de conhecimentos relativos à fauna e à flora, os quais são utilizados nos estudos e para a conscientização da sociedade em geral. As ações educativas proporcionam aos alunos a aprendizagem através do contato direto com o objeto de estudo, minimizando o distanciamento homem/natureza e possibilitando a re-significação do ambiente no qual se insere.

A implantação do museu de taxidermia tem como finalidade construir o crescimento científico; resgatar espécimes descartados e buscar a reconstituição dos mesmos; promover a convergência e o diálogo multidisciplinares sobre a realidade da prática de visita aos museus e sobre regras e impedimentos sobre esta prática; contribuir para a produção de indicadores referentes ao impacto dos museus na sociedade e nas áreas de desenvolvimento econômico, social e humano; desenvolver ampliação de referências culturais comuns, com fortalecimento da inclusão cultural (democratização do acesso e discussão/apropriação da cultura); desenvolver a cultura e a ampliação dos fóruns de debate inter-setoriais e entre setores diversos sobre ciência, tecnologia e sociedade, e no sistema de educação formal (renovação de práticas pedagógicas, capacitação e formação docente e discente, parceria formal e não-formal).

O Museu do Parque Zoobotânico Getúlio Vargas possui duas galerias com representações de todos os biomas do Brasil, além de informações sobre insetos, aves, mamíferos e répteis. O Museu está localizado na praça principal do Zoológico, próximo ao setor de Nutrição Animal e ao Berçário. O acesso mais indicado é pela portaria do Alto de Ondina.


Zootour – www.facom.ufba.br/zootour/ (não funciona mais)

Zootour é o produto apresentado como Projeto Experimental em Comunicação pelo aluno Layzer Melo e Silva (layzerlog@zipmail.com.br). O sítio foi produzido no primeiro semestre de 1999, por professores, alunos e pesquisadores da FACOM – Faculdade de Comunicação (www.facom.ufba.br), UFBA – Universidade Federal da Bahia (www.ufba.br). Além de outras coisas, ele mostra um mapa que comprova a existência de uma girafa no Zoológico de Salvador...

Girafa do Jardim Zoológico de Salvador – by Layser Melo, 1999.

volta ao topo

Na coleção há fotos de 1998 (abaixo), as mais antigas que tenho, também os dados de 1999 (acima) que comprovam que o Zoológico de Salvador teve um exemplar de Girafa (fêmea), cuja origem desconheço e parece que ela morreu em 2002... Atualmente, a espécie não compreende mais o plantel do zoológico...

A amiga Roberta Santana (que também coleciona girafas), enviou de lembrança em 22/03/2005, duas fotos da girafa que existiu no zoológico de sua cidade, tiradas em dezembro de 1998.

Abaixo, a foto ampliada da girafa do Jardim Zoológico de Salvador mostra que era da subespécie girafa-baringo, cujo nome científico é Giraffa camelopardalis rothschildi.

volta ao topo

► Na Diretoria Regional da Bahia a solenidade de lançamento oficial da série “Zoológicos do Brasil” ocorreu no Jardim Zoológico de Salvador, em 05/10/2007, como podemos ver na foto-montagem (abaixo) recebida em 17/10/07, por Jane Maria Vasconcelos Perrone – Coordenadora Comercial do Segmento Filatélico – Seção de Filatelia, Gerência de Vendas no Varejo – SFIL/GEVAR/DR/BA (janeperrone@correios.com.br).

A foto à esquerda apresenta o senhor Gerson de Oliveira Norberto (Coordenador do Zoológico) fazendo a obliteração no selo, tendo à direita a senhora Alda Pinheiro (Diretora Regional Adjunta da DR/BA) e, à esquerda, Jane Perrone. Na foto à direita podemos ver o momento em que a aluna Mariana recebe o álbum do lançamento das mãos de Alda Pinheiro.

Na parte inferior da foto, à esquerda, alunos da Escola Santos Nobre, localizada em Mussuranga (Salvador), no centro um pavão e na sequência (da esquerda para à direita) a foto mostra: Alda Pinheiro abraçando o aluno de 9 anos Antônio Alexandria Filho (quem também carimbou a série), Gerson Norberto, senhor Wesley Soares Faustino (Diretor-Geral da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos), Adriana Oliveira da Silva (SFIL/GEVAR/DR/BA), Jane Perrone e Marcio Matos de Souza (Assessoria de Comunicação da DR/BA).

04/10/2007: Correios lançam selo Zoológicos do Brasil (Ascom/ Correios e Semarh)
(www.zoo.ba.gov.br/conteudo-unico-noticia.aspx?p=NOTICIAS&nid=133)

Os Correios vão lançar amanhã (5), às 10 horas, os selos Zoológicos do Brasil, no Parque Zoobotânico Getúlio Vargas, Zoo de Salvador, em Ondina. Serão apresentados seis selos com fotografias dos animais mais votados na campanha “Bote um bicho no selo”. Os animais preferidos foram a girafa, leão-africano, tigre, chimpanzé, arara-vermelha-grande e elefante-africano. Cada selo tem valor facial de R$ 0,60.

Os selos especiais têm o objetivo de divulgar a importância dos zoológicos para a reprodução das espécies em cativeiro, principalmente dos animais em extinção. A iniciativa também pretende difundir a beleza dos animais que vivem nos zoos do país, espaços destinados ao lazer, à educação ambiental e à pesquisa.

Como produtos adicionais, foram formatados ainda cartões postais e uma caixa de encomendas, utilizando o mesmo tema. Para comemorar o mês das crianças, cerca de 60 alunos da Escola Plic-Ploc e do Colégio Estadual Marcos Antônio Veronesi vão participar do lançamento. Uma das crianças vai obliterar o selo, junto com o diretor-geral da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), Wesley Faustino e o coordenador do Zoo, Gerson Norberto.

05/10/2007: Correios lançam selos com animais de zoológicos brasileiros (Ascom/Semarh)
(www.zoo.ba.gov.br/conteudo-unico-noticia.aspx?p=NOTICIAS&nid=132)

Animais símbolos dos zoológicos do Brasil foram escolhidos para ilustrar a mais nova série de selos dos Correios. Através da Internet, usuários das cinco regiões brasileiras votaram na campanha ‘Bote o bicho no selo’, elegendo os animais, junto com a Sociedade de Zoológicos do Brasil (SZB). O lançamento da nova série de selos aconteceu hoje (5), no quiosque do Parque Zoobotânico Getúlio Vargas (Zoo de Salvador), em Ondina.

A série, que vai circular no Brasil e no exterior, mostra a importância dos zoos na preservação da fauna e na reprodução das espécies em cativeiro, principalmente dos animais em extinção. A iniciativa também pretende difundir a beleza dos animais, que vivem nos zoos do país, espaços destinados ao lazer, à educação ambiental e à pesquisa.

O leão-africano foi escolhido para representar o Nordeste brasileiro. Essa espécie pode ser encontrada nos Zoológicos de Salvador (BA) e Olinda (PE). Conhecido como o ‘rei dos animais’ por sua aparência majestosa, o leão é um animal que pertence à família dos felidae. Normalmente apresenta pelagem curta, cuja cor varia do ocre-prateado ao marrom escuro, podendo pesar 250 quilos.

Além do leão-africano, também foram escolhidos, para colorir a campanha, a arara-vermelha-grande, (representando a região Norte), girafa (Centro-Oeste), elefante-africano (Sudeste), tigre (Sul) e o chimpanzé (Sociedade de Zoológicos do Brasil).

O estudante Antonio Alexandria, 9 anos, da Escola Santos Nobre, de Mussurunga, aprovou a escolha do leão, definindo-o como ‘bonito’ e ‘grande’. “Eu adoro animais e sempre peço a minha mãe para vir ao parque. Aqui conheço bichos que nunca vi, nem na televisão”, disse Alexandria, que junto com o diretor-geral da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), Wesley Faustino, obliterou com o carimbo do selo, que passa a compor o acervo dos Correios.

De acordo com o coordenador do Zoológico, Gerson Noberto, a campanha cria um vínculo da sociedade com a fauna brasileira. “Essa ideia tem um cunho educativo de preservar o meio ambiente”, disse Noberto.

Na oportunidade, a diretora-adjunta dos Correios na Bahia, Alda Pinheiro, explicou que os animais foram escolhidos por fascinarem os visitantes dos nossos Zoológicos e por representarem à rica fauna de diversos países. “A ideia do selo é valorizar os nossos animais, e a preservação deles vai depender de todos vocês”, destacou Pinheiro para um público de mais de 60 crianças de escolas públicas e particulares que visitavam o parque.
volta ao topo


Zoológico vai abrigar obras de Jenner Augusto

Dois painéis em azulejo, de autoria do artista plástico Jenner Augusto, foram restaurados e vão fazer parte do acervo do Zoológico de Salvador. Criados em 1957, os painéis decoravam o salão principal do restaurante Alto de Ondina e estão entre os primeiros trabalhos coloridos em azulejo feitos no Brasil. O zoo vai abrigar e preservar as obras por ser um local bem frequentado, seguro e ter ligação com o tema dos trabalhos.

A partir da próxima terça-feira (17), o público baiano poderá apreciar os painéis “Jogos Infantis” e “Fauna”, que estavam degradados nas ruínas do antigo restaurante. A recuperação das obras, realizada por meio do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), foi iniciada no final do ano passado, com o objetivo de manter viva parte da obra de Jenner Augusto e aproximar a população das artes plásticas.

De acordo com o restaurador Estácio Fernandes, o estado de depredação obrigou o uso de uma técnica incomum na remoção dos painéis. “Tivemos que trazer uma parte da parede onde estavam os azulejos, sob o risco de não perder os trabalhos em definitivo”, destaca. Por conta da perda de algumas peças originais, uma peculiaridade da restauração foi não imitar a criação do artista. “Tem que ter o cuidado de não confundir o original com a intervenção, para não se configurar um falso histórico”, explica Fernandes.

Para o coordenador do Zoológico de Salvador, Gerson Norberto, é de grande importância que o local tenha sido escolhido para sediar as obras. “Mostra que o zoo tem respaldo, credibilidade e público para apreciar”, ressalta.

Baiano por opção – Sergipano de nascimento, Jenner Augusto da Silveira (1924-2003), escolheu morar em Salvador em meados do século passado. Considerado um dos mais importantes artistas plásticos da Bahia, Jenner foi pintor, ilustrador e desenhista. Na década de 60, pintou, constantemente, o bairro de Alagados e paisagens da capital baiana. Há pelo menos três livros sobre sua obra: Jenner: A Arte Moderna da Bahia, de Roberto Pontual; Os Alagados de Jenner, álbum com cinco serigrafias e texto de Adonias Filho; e um livro-álbum denominado Jenner, com reproduções de sua obra, em cores e preto-e-branco.

Obras de Jenner Augusto dão novo toque ao Zoo

O Parque Zoobotânico Getúlio Vargas, ou Zoológico de Salvador, conta agora com dois painéis em azulejo, datados de 1957, de autoria do artista plástico Jenner Augusto, sergipano radicado no estado e um dos ícones do modernismo na Bahia. Os painéis foram restaurados pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) e estavam no prédio do Restaurante Alto de Ondina, sob o risco de serem demolidos junto com a antiga construção.

A viúva do artista, Luiza Silveira, agradeceu a restauração e disse estar feliz e emocionada. “Não só o de Jenner, mas todo o trabalho artístico e cultural deve ser preservado. Desde que o artista faz e entrega, o trabalho passa a ser do povo da sua terra. Então, esses trabalhos agora são da Bahia”, afirmou. Ela disse que, embora nascida em Sergipe, escolheu a Bahia para viver. “Fico muito feliz, agora como cidadã baiana, de receber esses painéis”, destacou.

Os painéis foram recuperados pelo técnico restaurador e museólogo Estácio Fernandes. “Trabalhamos as peças utilizando as próprias cerâmicas esmaltadas e a mesma técnica que Jenner produziu o painel, em 1957”, afirmou. Segundo ele, os painéis receberam também um revestimento em resina acrílica que não amarela e tem resistência aos raios solares, dando durabilidade ao processo de restauro realizado.

O antigo prédio do Restaurante Alto de Ondina pertencia à Secretaria Estadual da Administração (Saeb) e foi demolido pela Superintendência de Construções Administrativas da Bahia (Sucab). Na ocasião, o Ipac foi chamado para avaliar as obras, quando o secretário de Cultura, Márcio Meirelles, anunciou o compromisso de fazer a restauração completa dos painéis. “É a recuperação da memória da Bahia. Tínhamos isso escondido por quase dez anos, dentro de um prédio em ruínas”, lembrou o secretário.

Meirelles disse que está sendo feito um trabalho de registro de todas as obras de arte situadas em prédios públicos. “Todo o acervo do Museu de Arte Moderna (MAM), por exemplo, não estava catalogado. Fizemos isso e agora todos os prédios públicos ou praças que têm obras de arte, painéis, esculturas estão sendo cadastrados, com artista, ano de execução”, afirmou. Ele ressaltou que assim a sociedade vai poder saber qual é o patrimônio artístico que possui.

O secretário estadual do Meio Ambiente, Juliano Matos, observou que o Zoológico de Salvador recebe uma média de 30 mil visitantes por mês. “Pretendemos agora identificar outras obras para compor esse mosaico de cultura, arte e natureza nos nossos parques metropolitanos”, explicou.

Além de Gerson Norberto, estiveram presentes no evento o senhor de barba (que desconheço), Juliano Matos, familiares do artista e Luiza Silveira, quem inaugurou os painéis de Jenner Augusto às 09h50, aproximadamente, do dia 03/04/2009.

As fotos mostram a inauguração dos painéis “Fauna” (acima) e “Jogos Infantis” (abaixo), ambas foram tiradas em 03/04/2009 e são do site oficial do zoológico... Modelo de câmera Canon EOS 30D.

Entrada principal !
Última atualização: 27/08/2011.
volta ao topo

ZOOLÓGICO DE POMERODE ZOOLÓGICOS DO BRASIL
ZOOLÓGICO DE BRASÍLIA