This page is part of © GIRAFAMANIA website / Esta página é parte do sítio GIRAFAMANIA

PARQUE ZOOLÓGICO MUNICIPAL DE GOIÂNIA

O Parque Lago das Rosas (localizado entre a Alameda das Rosas e a Avenida Anhanguera) é o parque mais antigo de Goiânia. Em dezembro de 2004 foi revitalizado pela Amma, em parceria com o IPHAN. Valor estimado da obra: cerca de R$ 1,5 milhão da Amma e R$ 200 mil reais do Iphan.

Construído na década de 40 (acredito que em 1946), abrigava inicialmente um grande canteiro de rosas (daí a origem do nome) e possui elementos representativos do estilo Art Déco, que vigorava na época, como um trampolim e muretas. Abriga também o Zoológico de Goiânia. Serve de ponto de lazer e contemplação para milhares de visitantes.

Nascentes de cinco córregos fazem surgir, na parte interna do Parque, o Lago das Aves Aquáticas, Lago dos Macacos e Lago dos Cisnes. Na área existem três matas ciliares e a nascente do Córrego Capim Puba que forma o Lago das Rosas, com criatório de peixe, e pedalinhos para um belo passeio pelas águas. Tem ainda outros equipamentos de uso comunitário como pista de cooper iluminada, caminhos internos, mirante, parque infantil, estação de ginástica, quadras de futebol de areia e futebol de salão.

O Parque Lago das Rosas abriga uma construção muito importante para os estudantes, é o famoso Castelinho cuja área foi doada a União Municipal dos Estudantes Secundaristas em 1983, e que mantém lá a sede da entidade. O Castelinho foi palco de encontro da resistência estudantil no passado, tendo sido destruído no Governo de regime militar.

O Zoológico Municipal de Goiânia abriga espécies como: anta, camelo, cervo-dama, cervicapra, lhama, mico-de-cheiro ou mico-mão-de-ouro, tigre-real-de-bengala, tuiuiu (solto pelo parque), veado-catingueiro, entre outros.

Também animais mostrados nas fotos abaixo, como cobos, elande, gnu e veados...

— Parque Zoológico de Goiânia * ou Lago das Rosas
Rua Alameda das Rosas, s/n.º – Setor Oeste – CEP: 74110-060, Goiânia (GO)
Fundação: 1946 (segundo a prefeitura). Área: 285.000 m² (área total do parque: 315.000 m²).
O Zoológico de Goiânia funciona de terça-feira a domingo. A entrada custa R$ 2.
O local funciona das 8 horas às 18 horas. Idosos e crianças de até 3 anos não pagam.
www.goiania.go.gov.br/html/obras/esportelazer/zoologico/zoologico.htm
www.goiania.go.gov.br/html/principal/goiania/parquesinfantis/parquesinfantis.shtml

AMMA – Agência Municipal do Meio Ambiente de Goiânia
Rua 75 (esquina c/ 66) nº 137, Centro – CEP: 74055-110
Telefone: (62) 3524-1412 – amma@goiania.go.gov.br

Nota: Luiz Elias Camargo, ex-diretor e veterinário do zoo. Técnica zootecnista: Rita Figueiredo de Carvalho. Raphael Cupertino é o diretor e veterinário do zoo, atualmente... Diretoria do Zoológico (DIRZOO), Titular: Darivan da Rocha Nogueira, Fone: (62) 3524-2388

Peças da coleção: máximo postal com Ararajuba... Cartão telefônico (imagem abaixo) emitido pela TELEGOIÁS em 06/1998, com 50 unidades e tiragem de 300 mil: “Jardim Zoológico de Goiânia”... Cartão telefônico emitido pela TELEGOIÁS em 12/2000, com 30 unidades e tiragem de 200 mil, o qual compreende a “Série Áreas Verdes de Goiânia” (5 cartões), cuja foto aérea do arquiteto Walmir Santos Aguiar mostra o “Parque Zoológico”, com as seguintes informações impressas no verso: “Situado no setor oeste e com área de 285 mil metros quadrados é ponto de lazer e diversão do povo goianiense. Nesta área verde localiza-se o Zoológico de Goiânia que atrai grande número de visitantes pelos animais e por sua beleza natural.”

volta ao topo

Abaixo, as fotos de 26/06/2004 mostram um esqueleto de leão (DSC00931) e um esqueleto de jacaré (DSC00922).

O “Leão da Marial” era usado como vigia em um depósito de materiais de construção. Um dia ele escapou e encontrou pelo caminho uma criança. A criança foi pro céu e o leão foi para o zoologico até os seus últimos dias... Ossada do “Jacinto” (um jacaré-açu), acreditava-se que ele fosse fêmea. Depois dele ter matado vários machos descobriram que se tratava de um macho. Então colocaram uma fêmea com ele e foram felizes até virar caveira no museu...

volta ao topo

No dia 20/02/2009, em visita ao zoo na Capital Federal, soube que as duas girafas machos apreendidas do Le Cirque e que chegaram no Zoológico de Brasília em 24/08/2008, foram transferidas para o Zoológico de Goiânia... Em seguida, enviei um e-mail ao zoo, fiz buscas na internet e encontrei as publicações que reproduzi abaixo...

E-mail enviado ao zoo em 25/02/2009: Gostaria de saber qualquer informação a respeito das girafas que estão aí – que devem ser as primeiras girafas em Goiânia – as quais vieram do Zoológico de Brasília no final do ano passado... Toda e qualquer informação a respeito das girafas do Zoológico de Goiânia eu agradeço. Procurei no site, entretanto nada encontrei, nem fotografias... Obrigado.

Você respondeu? Pois é, sequer alguém do Zoológico de Goiânia tampouco...

► 28/12/2008: Cidades | Edição nº 7722 – Alfredo Mergulhão, da editoria de Cidades
Diário da Manhã Online – Obrigado por se cadastrar no DMOnline (dmonline@dm.com.br)
www.dm.com.br/impresso/7722/cidades/59916,zoo_de_goiania_ganha_2_girafas
Girafa Tico se alimenta em árvore ao chegar ao Zoológico ontem

Tico e Kim serão as primeiras girafas que ficarão expostas no Zoológico de Goiânia, nos 62 anos de história do parque. Tico chegou à Capital, no final da tarde de ontem, vindo de Brasília em caminhão adaptado para transporte. Kim deve chegar amanhã junto com a zebra Safira. Os três foram apreendidos pelo Ibama, por maus-tratos, em setembro de 2008, junto ao Circo Le Cirque.

A chegada a Goiânia mobilizou viaturas da Polícia Militar, Superintendência Municipal de Trânsito (SMT) e Ibama. Foi preciso levantar fiações elétricas e desviar semáforos para que o caminhão pudesse trafegar na Avenida Anhanguera, do viaduto do Jardim Novo Mundo até o Zoológico, no Bosque dos Buritis.

As girafas e a zebra ficaram alojadas no Zoológico de Brasília depois de terem sido apreendidas. Após passarem por período de recuperação, a direção do zoo de Goiânia solicitou ao Poder Judiciário do Distrito Federal para ser o fiel depositário dos animais. O parque goianiense possui espaço mais adequado e semelhante ao habitat natural dos espécimes, e teve o pedido atendido.

Não é possível precisar a idade dos animais devido à procedência. Estima-se que Tico tenha por volta de oito anos. O animal mede 4,3 metros de altura e pesa cerca de 800 quilos, mantidos por meio de dieta à base de frutas, verduras, milho, ração e alfafa peletizada. Come mais de 10 quilos de alimento diariamente.

Kim aparenta ter a mesma idade, mas é menor. Tem 4 metros de altura e pesa cerca de 700 quilos. Já Safira vem para ser exemplar genuíno da espécie. O zoo de Goiânia possui atualmente um espécime híbrido, fruto do cruzamento de uma zebra com jumento. Os animais poderão receber visitas do público ainda em 2008. “A idéia é abrir para visitação no dia 31 de dezembro”, diz o diretor Rafael Cupertino.

A direção ainda negocia compra de um casal de girafas. Os animais devem ser importados diretamente da África, ainda filhotes. “Estamos no processo burocrático de importação”, diz. Espécimes chegariam para ser atração do Zoo após transferência ao Jardim Botânico, em 2009.

volta ao topo

► 28/12/2008: Domingo, GIRAFA CHEGA EM ZOOLÓGICO DE GOIÂNIA
Postado por ELAINE FERNANDES, http://jornal-tribunapopular.blogspot.com/
Este é o cache do Google de http://elaine-fernandes.blogspot.com/2008/12/girafa-chega-em-zoolgico-de-goinia.html

Esquema especial para trazer girafa de Brasília para o Zoo de Goiânia

O trânsito na Avenida Anhanguera, a maior de Goiânia, parou ontem à tarde para dar lugar ao caminhão que trouxe para Goiânia Tico, uma girafa macho de aproximadamente 8 anos e 4,3 metros de altura, que veio de Brasília (DF) para o Zoológico de Goiânia. Técnicos da Superintendência Municipal de Trânsito, do Zoológico, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e das concessionárias de energia e telefonia acompanharam o transporte. Semáforos foram virados e cabos elétricos e telefônicos levantados para dar passagem ao caminhão adaptado especialmente para o transporte da girafa (foto), a primeira do zoo de Goiânia.

O superintendente do Complexo Zoobotânico da Prefeitura de Goiânia, Raphael Cupertino, explicou que o parque conseguiu na Justiça tornar-se fiel depositário de duas girafas – outro macho, Kim, chega terça-feira – e de uma zebra, Safira. “Para nós é a realização de um sonho”, disse o superintendente. Tico e Kim ficarão em um recinto especial do zoológico, de 1,2 mil metros quadrados e, se responderem bem ao estresse da viagem, podem ser expostos para visitação já na próxima semana.

Nota: No dia 25/02/2009, enviei o email (contatoelaine@hotmail.com): Olá Elaine, Encontrei apenas hoje sua matéria sobre as girafas que chegaram no zoo de Goiânia... Quero saber se a foto da girafa é sua e de onde é tal foto... me parece não ser da girafa que chegou nesse zoo... pois as girafas que saíram do zoo de Brasília, rumo ao de Goiânia são girafas da subespécie reticulada... e a foto que vc publica em seu blog não é a girafa da mesma subespécie... Afinal, de onde é a girafa desta foto? (me parece ser de BH) Qualquer informação a respeito eu agradeço muito!... 14/03/2009: Você recebeu esta mensagem?...


► 31/12/2008: Cidades | Edição nº 7725 – Márcia Fabiana, da editoria do DMREVISTA
Diário da Manhã Online – DMOnline (www.dm.com.br)
Zoológico recebe mais uma girafa e dois macacos

O Parque Zoológico de Goiânia conta com mais três novos moradores. Chegaram ontem (30) a girafa macho Kim e dois macacos japoneses (sem nomes definidos), vindos de Brasília. Os animais enfrentaram mais de 12 horas de viagem e farão companhia para a outra girafa macho Tico, que chegou no último sábado (27). Os animais chegam a Goiânia após dois meses de negociação e 14 anos de espera. A zebra fêmea Safira, que também viria, teve a chegada adiada, pois estava muito agitada na hora do embarque. Safira desembarca nesta quarta-feira.

Os animais foram apreendidos em um circo pelo Ibama por sofrerem maus-tratos. A girafa, a zebra e os dois macacos estavam sob os cuidados do Zoológico de Brasília. Como o parque já possuía outros animais da mesma espécie, o Zoológico de Goiânia negociou com a Justiça Federal para se tornar fiel depositário deles. Até o final da sentença contra o circo, que pode levar até cinco anos, o Parque Zoológico de Goiânia ficará responsável pelas espécies. Os três animais devem ser liberados para a exposição até o final desta semana.


► 02/01/2009: Jornal Tribuna do Planalto (www.tribunadoplanalto.com.br)
www.tribunadoplanalto.com.br/modules.php?name=News&file=print&sid=6887
Lazer – Data: Sexta-feira, 2 de Janeiro de 2009 – Tópico: Dia-a-Dia / Das Ruas

No último dia 29, segunda-feira, o zoológico de Goiânia ganhou quatro novas atrações, além da girafa macho de nome Tico, que chegou na semana anterior, vinda de Brasília. O casal de macacos, a zebra fêmea de nome Safira e outra girafa macho denominada Kim devem compor temporariamente o acervo do zoo, por determinação da Justiça. É que o Ibama ajuizou uma ação contra o circo Le Cirque, proprietário dos animais. A alegação do Ibama é de que os animais estavam sofrendo maus tratos. ► As girafas deverão permanecer em Goiânia no mínimo cinco anos, prazo de duração previsto para uma ação transitar em julgado. E, caso o circo perca a guarda dos animais, eles serão entregues definitivamente ao Zoo de Goiânia.


► 06/02/2009: Zoo recebe três vezes mais visitantes que no ano passado
SNGER – Edição de Notícias do Goiânia em Rede
Prefeitura Goiânia – Secretaria de Comunicação, Goiânia em Rede – Últimas Notícias
www.goiania.go.gov.br/sistemas/snger/asp/snger01010r1.asp?varDt_Noticia=06/02/2009&varHr_Noticia=08:24
Público que visitou o Zoo em janeiro foi de quase 90 mil pessoas, Reportagem: Fabrícia Hamu

Goiânia em Rede

O número de visitantes que o Zoológico de Goiânia recebeu nas férias deste ano foi três vezes maior que o número registrado no ano passado. Conforme levantamento realizado pela Superintendência do Complexo Zoobotânico da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), responsável pela administração do Zoológico, enquanto em janeiro de 2008 o parque recebeu 28.135 visitantes, em janeiro de 2009 esse número saltou para 86.285, o que aponta um crescimento de 306%. Em um único final de semana, como o dos dias 10 e 11 de janeiro, por exemplo, o Zoo chegou a receber um público de 14.781 pessoas.

Para o veterinário do Zoológico, Raphael Cupertino, grande parte do aumento das visitas ao Zoológico pode ser atribuído à aquisição de novos animais, como as duas girafas, a zebra e os dois macacos japoneses que chegaram ao local no final de dezembro e começo de janeiro. “As pessoas estão encantadas com as novas espécies. As crianças se mostram muito entusiasmadas, principalmente com as girafas”, afirma. O movimento em frente ao recinto das girafas macho Kim e Tico é intenso e mostra-se grande mesmo durante a semana. “Depois de vê-las, os visitantes correm para conhecer a zebra Safira e os macacos”, conta o veterinário.

Negociação

A vinda dos novos animais para o Zoo de Goiânia foi fruto de uma intensa negociação com o Zoológico de Brasília e de uma decisão judicial. Eles estavam sofrendo maus-tratos em um circo e, após uma ação de fiscalização do Ibama, foram levados para o Zoo de Brasília. Depois de manifestar ao Zoo de Brasília sua intenção de ter novas espécies, o Zoológico de Goiânia requereu a posse dos animais e conseguiu uma decisão judicial para tornar-se fiel depositário das girafas, da zebra e dos macacos. Raphael Cupertino informa que novos animais deverão chegar ao Zoo ainda este ano, mas que não é possível adiantar quais são as espécies antes de as negociações serem finalizadas.

O veterinário lembra, ainda, que embora o movimento nas férias tenha crescido muito além do esperado, o número de visitantes que o Zoo recebeu ao longo de todo o ano de 2008 também foi expressivo. “Isso aconteceu em função do enriquecimento dos recintos dos animais que realizamos e que foi presenciado pelos visitantes”, explica. Os recintos são os espaços onde os animais ficam alojados e a técnica de enriquecimento garante a melhoria da qualidade de vida das espécies. Trata-se de adaptações físicas, com o objetivo de simular o habitat natural dos animais. Além das adaptações físicas, também foi realizado o enriquecimento alimentar e social, quando os animais passaram por um processo de readaptação da alimentação e de estímulo à interação mais intensa com o meio. No total, 63 recintos foram enriquecidos.


► Baixaki » papéis de parede » Animais » Girafa Zoológico De Goiânia
Por Murilo Fernandes Soares (foto número 1111081-52499-1280)
www.baixaki.com.br/papel-de-parede/27192-girafa-zoologico-de-goiania.htm

Em junho, uma girafa apreendida em um circo morreu devido a um choque hipovolêmico causado a partir de uma anemia crônica... “O leão teve um tumor no fígado, um hipopótamo sofreu uma infecção generalizada e assim foram as outras mortes, não estão relacionados”, disse Caetano. A onça-pintada morreu durante uma anestesia feita durante um exame de rotina, o tamanduá também morreu devido um tumor e o segundo hipopótamo parou de se alimentar após a morte do primeiro...


07/07/2009 – Hoje, Edição: 993, Taís Lacerda
Donos de girafa morta criticam gestão no zoo
www.hojenoticia.com.br/editoria_materia.php?id=25189

Dois dos quatro proprietários do Le Cirque procuraram a redação do HOJE para questionar publicamente os motivos de estarem sendo proibidos de ver o corpo da girafa Tico, que, segundo o diretor do Zoológico, Raphael Cupertino, morreu no último dia 26. A reportagem do HOJE também tentou, na manhã de ontem, fazer fotos do cadáver, que estaria congelado na Escola de Veterinária da Universidade Federal de Goiás (UFG), mas foi informada por veterinários que o Zoológico proibiu qualquer imagem do bicho morto. “Não entendemos porque não podemos ver o Tico. Lemos, nos jornais locais, que o diretor do Zoológico recomendou inclusive que o corpo fosse incinerado. Não concordamos com isso”, afirmou Augusto Stevanovich, um dos donos da girafa morta.

As girafas Kim e Tico foram apreendidas no Le Cirque em agosto do ano passado, sem autorização judicial. Uma operação do Ibama levou 26 bichos do circo. O órgão alegou que os animais não viviam em espaço igual ao de um zoológico e que estavam sendo maltratados. As girafas e uma zebra chegaram ao Zoológico de Goiânia no início deste ano, depois de terem ficado por um tempo abrigadas no Zoológico de Brasília.

Augusto e seu irmão Robert Stevanovich estão revoltados com o fato de que até ontem nenhum exame laboratorial havia sido feito na girafa Kim, que ainda está viva e também é do Le Cirque. O animal está judicialmente em poder do diretor do Zoológico, que é seu fiel depositário. “Um já morreu. E agora, o que vai acontecer com o outro? Nosso veterinário já constatou que o Kim está urinando pouco e que a urina tem coloração escura, que é anormal. Pedimos que o Raphael autorizasse a coleta de urina e de sangue, para que pudéssemos investigar se está doente, mas ele disse que não permitia, que essa autorização teria de ser dada pela Justiça”, contou Augusto.

O veterinário Ezequias Espíndola Neto, que cuida dos animais do Le Cirque há pelo menos três anos e conhece as condições de saúde das girafas antes de elas serem apreendidas pelo Ibama, em agosto de 2008, disse que Kim precisa passar por exames com urgência. “Queremos um hemograma completo e um exame de leptospirose, porque constatamos a presença de muitos ratos no Zoológico, inclusive de dia”, disse. Espíndola Neto, que também é veterinário dos animais do Beto Carreiro World e dos bichos do Circo Orlando Orfei, afirma que sugeriu que fossem colhidas duas amostras, uma para que ele analisasse e outra para que a UFG analisasse. “Ficaram de coletar o material e nos enviar, mas isso não foi feito. Se têm tanto apreço pelos animais, deveriam dar um respaldo melhor”, acredita.

Outro ponto observado pelos donos da girafa foi com relação à alimentação dos dois. “Percebemos que estão oferecendo só capim. No circo, dávamos, por dia, uma caixa de maçã, uma caixa de cenoura, duas caixas de alface, duas dúzias de banana e ração equina, cuja quantidade variava de acordo com o clima”, disse.

DIRETOR DA INSTITUIÇÃO DESQUALIFICA ATAQUES

O diretor do Zoológico de Goiânia, Raphael Cupertino, disse que quem não observa o cotidiano da girafa não tem subsídio para falar sobre o assunto. “Não estão dentro do Zoológico para ver. Tentamos dar feno de alfafa, os dois não aceitaram. Então oferecemos sansão do campo, capim, leucena. Sabemos que não se pode oferecer muita ração, que pode desencadear timpanismo”, disse.

Sobre a probabilidade de focos de leptospirose, Cupertino disse que contratou uma empresa para fazer a desratização e que nunca observou um único rato na área ocupada pelas girafas. “Vamos coletar urina para verificar esta possibilidade, mas não vamos fazer isso a toque de caixa, por pressão do circo. O Kim está estressado em função da morte do Tico, mas não apresenta um quadro de emergência que necessite os exames”, disse.

Cupertino afirmou que não autorizou que o veterinário do Le Cirque recolhesse amostras para exame porque Kim está sub-júdice e qualquer procedimento com relação ao animal deve ser autorizado pela Justiça. “Nós ainda não coletamos amostras porque sedar a girafa pode colocar sua vida em risco. Só vou fazer isso depois de comunicar à Justiça”, argumentou.

Com relação a imagens da girafa morta, o diretor do Zoológico explicou que não permitirá que sejam feitas porque considera uma exposição inadequada e desnecessária. “Como o animal morreu no final da tarde, não foi possível esperar até o outro dia para que a imprensa fotografasse, por isso optei por autópsia imediata, para que o trabalho de investigação da morte não fosse prejudicado”, declarou.

O veterinário Luiz Augusto Brito, responsável pelo setor de Patologia da UFG, disse que em 20 dias, a contar da data da autópsia, que aconteceu na madrugada do dia 27, será emitido o laudo esclarecendo a causa da morte da girafa. (T.L.)


21/07/2009 – O Zoológico foi interditado pelo Ibama para investigação... por conta das mortes que ocorreram...

Em agosto foi anunciado que a outra girafa apreendida morreu....... Ainda não se sabe a causa da morte, que só deve ser conhecida com o resultado da necrópsia, realizada pela Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Goiás... Algumas espécies de animais que eu soube da morte: 1 bisão, 1 leão, 1 casal de hipopótamos, as duas girafas etc...

26/08/2009 – Morre segunda girafa do Le Cirque em Goiânia
www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2009/08/25/cidades

Morreu às 15h30 desta terça-feira (25/8), no Zoológico de Goiânia, a girafa macho Kim, um dos 26 animais do Le Cirque apreendidos no Distrito Federal a pedido do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em agosto de 2008. Antes de Kim, a outra girafa do sexo masculino do circo, Tico, já havia morrido em junho deste ano na capital goiana.

Segundo o diretor do Zoológico de Goiânia, Rafael Cupertino, o animal apresentava problemas intestinais, mas estava se alimentando normalmente. “Era um parasita resistente. Usamos quatro tipos de vermicidas diferentes, mas não adiantou. A girafa apresentava esses problemas desde que chegou ao zoo”, afirmou Curpertino.

Na época da morte da primeira girafa, o advogado do Le Cirque, Luiz Sabóia, apontou alimentação inadequada como causa da morte. O proprietário do circo, Roberto Stevanovich, acredita que o mesmo tenha ocorrido agora, com Kim. “A girafa estava há 10 anos no circo, comia alfafa, cenoura, banana. No Zoológico davam capim. Ela morreu por falta de cálcio, por falta de vitanima. O Ibama acusou o Le Cirque de maltratar os animais, mas nunca aconteceu nada enquanto estavam conosco”, disse Roberto. O diretor do Zoológico afirmou que o animal se alimentava de forma balanceada e adequada, com alfafa, capim, folhas, cenoura, abóbora e ração.

O corpo do animal será levado para a Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Goiás para o exame de necropsia que determinará a causa da morte. O mesmo laudo que foi feito em Tico e indicou anemia crônica como causa da morte. “Diversas coisas podem ter levado ao quadro, não só a alimentação”, justificou Cupertino.

De acordo com Roberto Stevanovich, após a morte de Tico, o circo ofereceu ajuda de seu veterinário para orientar acerca dos cuidados com a segunda girafa, que já estava abatida. “O diretor do zoológico recusou e disse que não podia ficar mal com o Ibama. Eu disse que não era com o Ibama que ele tinha que se preocupar, mas com a vida do animal”, afirma. Agora, apenas um animal do Le Cirque permanece no Zoológico de Goiânia: uma zebra.

Zoológico fechado

O Jardim Zoológico de Goiânia está fechado para visitas desde o dia 21 de julho por ordem do Ibama. A Delegacia do Meio Ambiente investiga a morte de 47 animais ocorrida entre janeiro e julho deste ano. De acordo com o Cupertino, apesar do alto índice, os animais morreram de causas diversas. “O problema seria se eles tivessem morrido pela mesma causa. Nós tínhamos muitos animais idosos e outros que não tínhamos documentos e não podíamos precisar a idade deles”, afirmou. Apesar das mortes, Cupertino destacou que no mesmo período 32 animais nasceram o zoo da capital goiana. “Isso quer dizer que esses animais estão bem adaptados ao cativeiro”.

Memória

A polêmica envolvendo os animais da companhia circense teve início depois que uma vistoria do Ibama constatou que eles eram vítimas de maus-tratos. A pedido do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), o circo, então instalado no estacionamento do estádio Mané Garrincha, em Brasília, teve o alvará de funcionamento revogado. No dia 12/08/2008, fiscais ambientais apreenderam dois chimpanzés e um hipopótamo. O Le Cirque conseguiu reavê-los na justiça, mas só o hipopótamo foi devolvido, já que os macacos haviam sido levados para um santuário mantido pelo Projeto Grandes Primatas (GAP), ONG de proteção dos direitos e estudo do comportamento dos animais, em Sorocaba.

O GAP apresentou ao Ibama um laudo técnico comprovando o tratamento inadequado. A dupla de chimpanzés teve os dentes e os testículos arrancados, apresentavam marcas de correntes no pescoço e sofriam de estresse crônico. Com base nesse documento, os órgãos de fiscalização ambiental do DF prepararam uma operação, chamada de Arca de Noé, para “resgatar” os animais do circo. Mas os proprietários ficaram sabendo e evacuaram o local. Segundo uma funcionária da empresa, que não quis se identificar, os animais foram transportados às pressas durante a madrugada. Quando os agentes chegaram para cumprir o mandado judicial, não encontraram nenhum bicho.

O Ibama expediu um mandado de busca e apreensão em todo o país. Quando as carretas do circo passaram por um posto da Polícia Rodoviária Federal na BR-163, em Mato Grosso do Sul, os animais foram interceptados, e passaram dois dias em uma acampamento improvisado na sede da Polícia Militar Montada de Campo Grande, antes de serem mandados de volta a Brasília.


Registros:

Notas: As girafas foram adquiridas em 1998, portanto elas tinham pouco mais de 10 anos e não 8 como relata o jornal Diário da Manhã, por exemplo...

  1. “Tico/Chico” (macho da subespécie girafa-reticulada) – nasceu no Zoo de Los Angeles; o circo importou a animal em 1998; foi transferido para o Zoo de Goiânia em 27/12/2008. Morreu em 26/06/2009.
  2. “Kim” (macho da subespécie girafa-reticulada) – nasceu no Zoo de Los Angeles; o circo importou a animal em 1998; foi transferido para o Zoo de Goiânia em 30/12/2008. Morreu em 25/08/2009.

Última informação: agosto de 2009, ambas girafas morreram... Lamentável...!

Ambas as girafas machos eram da subespécie girafa-reticulada – únicas que viveram no Brasil que se tem notícia... Foram adquiridas no Zoológico de Los Angeles pelo circo Le Cirque em 1998. A dupla viajou por quase todo o Brasil com a equipe do circo e permaneceram no circo cerca de 10 anos... ES e RJ (2001), BA, PE e RN (2002), DF, PR (2004), MS (2008)...

Com outros animais as girafas foram apreendidas pelo Ibama no Mato Grosso do Sul (MS), em 24/08/2008, e transferidas juntas para o Zoológico de Brasília (DF). Lá ficaram apenas alguns meses e, em 24/12/2008 (segundo o GPA – Guia de Trânsito Animal), as girafas foram transferidas para o Zoológico de Goiânia (GO). Segundo os jornais acima, isso ocorreu no mesmo mês, dezembro de 2008, mas os animais foram transferidos separadamente...

Enquanto foram de propriedade do circo e, devido suas vidas mambembe de apresentações circenses, essas foram as girafas que mais viajaram pelo Brasil, muito provavelmente... Sem esquecer das transferências de Estados causadas pelo Ibama (MS, DF, GO).

Pois bem, durante suas vidas no Le Cirque ambos animais estavam muito bem de saúde, caso contrário não resistiriam a tantas viagens e mudanças, penso eu... Portanto não acredito nas denúncias de maus-tratos que ambas as girafas sofreram...

Talvez, não fosse a apreensão do Ibama, tampouco a decisão judicial do Zoológico de Goiânia ser o fiel depositário das girafas – onde viveram apenas oito meses –, elas ainda estariam vivas no circo...

17/08/2010 – A girafa Kim, retirada de um circo de Brasília e transferida para o Parque Zoológico de Goiânia, morreu envenenada por chumbinho. É o que mostra o resultado de exame toxicológico realizado pelo Hidrocepe Laboratório de Análises Físico-Químicas de Belo Horizonte, segundo reportagem do jornal “O Popular”. O laudo apontou a presença de um agrotóxico de alta toxicidade no estômago do bicho, o carbanato Aldicarb. O laudo reforça as suspeitas de que a morte da girafa tenha ocorrido em consequência de uma ação criminosa. Conforme o laudo assinado pelo patologista Jorge Barquete, do Laboratório Hidrocepe, a quantidade de chumbinho encontrado no estômago da girafa corresponde a 0,155 ppm (partes por milhão). Nos próximos dias, o atual e o ex-diretor do Zoológico, Raphael Cupertino e Willian Pires de Oliveira, respectivamente, além de tratadores e zootecnistas do parque, deverão depor. Também foram convocadas pessoas ligadas ao Le Cirque, de Brasília, onde as girafas Kim e Tico viviam até serem transferidas, por determinação judicial, para o Zoológico de Goiânia sob as suspeitas de que eram vítimas de maus-tratos no circo. Tico morreu dois meses antes de Kim. No ano passado, pelo menos 77 animais morreram no Zoo de Goiânia. A mortandade causou o fechamento do local ao público. O inquérito policial aberto, no entanto, descartou crime na morte dos animais.

Entrada principal!
Última atualização: 05/03/2011.
volta ao topo

ZOOLÓGICOS DO BRASIL ZOOLÓGICOS DO BRASIL
ZOOLÓGICOS DO BRASIL