This page is part of © GIRAFAMANIA website / Esta página é parte do sítio GIRAFAMANIA

GIRAFAS EM MUSEUS EUROPEUS

GIRAFAS EM MUSEUS DA BÉLGICA

GIRAFAS EM MUSEUS DA ESPANHA

GIRAFAS EM MUSEUS DA FEDERAÇÃO RUSSA

GIRAFAS EM MUSEUS DA FRANÇA

GIRAFAS EM MUSEUS DA INGLATERRA

GIRAFAS EM MUSEUS E ZOOS DA SUÍÇA


ALEMANHA

Sítio oficial dos Museus de Berlim (www.smb.spk-berlin.de)

Museu Estatal de Berlim – A instituição, que distribui seu acervo por seis prédios em Berlim, dedica-se à preservação, pesquisa e meditação sobre arte e cultura. O acervo é composto por obras de arte e por peças arqueológicas de países integrantes da Europa e de outras partes do mundo. (www.smb.spk-berlin.de)

Pinakothek der Moderne – A Pinakothek possivelmente possui as maiores coleções dos séculos 20 e 21. Ela é composta por quatro museus: o de arquitetura, o design, o de arte e o de trabalhos em papel. Os amplos espaços convidam o visitante a descobrir e explorar as peças dispostas pelos ambientes. (www.pinakothek.de/pinakothek-der-moderne)

Deutsche Guggenheim – Localizado no subsolo do Deustche Bank, o espaço abriga três ou quatro exposições por ano e foi construído em 1920. Sua galeria de arte, de 510 metros quadrados, foi projetada pelo arquiteto americano Richard Gluckman. A Fundação Solomon R. Guggenheim, estabelecida em 1937, tem como acervo a coleção particular de Solomon R. Guggenheim e engloba a rede mundial de museus e sociedades culturais. (www.deutsche-bank-kunst.com/guggenheim)

Gemäldegalerie (galeria de pinturas) – Madonna com pintassilgo (1506) de Albrecht Durer, A rainha de Sheba e Salomão (1437) de Konrad Witz, Retrato de mulher jovem (1445) de Rogier van der Weyden, Colonna Madonna ou Madonna di Casa Colonna (1508) de Raphael, A apresentação no templo (1465-66) de Andrea Mantegna, Adoração dos pastores (1480) de Martin Schongauer.

Com peças girafídeas...

Museum für Naturkunde Berlin – Museu de História Natural de Berlim
www.naturkundemuseum-berlin.de

Do lado esquerdo da tela, selo emitido em 02/01/2010 alusivo aos “200 Anos do Museu de História Natural de Berlim” (200 Jahre Museum für Naturkunde Berlin), com valor facial de 45 centavos, mostra esqueleto e várias espécies... Artista: Jünger + Michel. Michel: 2775. Nota: Na coleção há também o selo avulso com margem de folha. Do lado direito, foto da Sala dos Mamíferos, a qual visitei em agosto de 2004.


(50k)

Stuttgart Museum Naturkunde – National Museum of Nature Sciences
Rosenstein 1, D-70191 Stuttgart – Germany – www.naturkundemuseum-bw.de

Advertising Agency: Scholz & Friends, Berlin, Germany
Art Director: Mathias Rebmann / Copywriter: Florian Schwalme
Illustrator: Johann Brandstetter / Published: November 2007

O Museu de História Natural de Stuttgart está localizado na capital do Estado de Baden-Württemberg, Stuttgart, na região sul da Alemanha.

A propaganda do Museu mostra uma girafa (Giraffa camelopardalis) + um galo (Gallus gallus domesticus) = avestruz (Struthio camelus) e a frase “Discover how it really was” (Descubra como realmente foi) – Museum of Natural History Stuttgart...

volta ao topo

ÁUSTRIA

Museu de Arte Moderna – O Museum Moderner Kunst Stiftung Ludwig Wien (Mumok) é o maior museu de arte moderna e contemporânea da Áustria. Possui 14,5 mil metros quadrados, sendo 4,5 mil metros reservados às exposições. Movimentos progressivos, representados por grandes obras de Concept Art, Minimal Art, Land Art e Arte Povera, podem ser vistas em uma coleção que comporta cerca de 7 mil trabalhos. O museu reserva também um nível inteiro para exibições especiais. (www.mmkslw.or.at)

Museu de História Natural de Viena – Naturhistorisches Museum Wien
Praça Maria Tereza – www.nhm-wien.ac.at

Embora o museu tenha sido fundado a vários séculos, um fato em particular foi fundamental em sua origem... Em 1876, o Imperador Franz Joseph I nomeou Ferdinand von Hochstetter (explorador da Nova Zelândia), para ser o 1º diretor do museu. Planos para um novo museu foram aprovados antes disso... O museu recebeu sua característica de único por suas salas e disposição de suas coleções.

No Museu de História Natural de Viena existem 5 peças que representam a família dos girafídeos, os quais pude comprovar em agosto de 2006. De lá, trouxe de lembrança um ocapi (peça de plástico que paguei 4 euros) e cartões-postais.

– 1 crânio de Paleotragus roveni – Samos, Griechenland? Grécia (sala 8)
– 1 esqueleto de girafa (sala 34)
– 1 girafa empalhada da subespécie reticulada (sala 34)
– 2 ocapis (fêmeas) empalhados (sala 34 – mostrados no segundo plano da foto abaixo)

Uma “ammonite” (selo postal abaixo), um tipo de cefalópode que se extinguiu há 130 milhões de anos atrás, foi escolhida para ilustrar a especial emissão de 1976 – mesmo ano em que ocorreu a Exibição de Aniversário do Museu de História Natural. A fotografia do lado esquerdo mostra parte da sala 34.

volta ao topo

BULGÁRIA

Selo emitido em 1989 (Scott: 3435), para comemorar o Centenário do Museu de História Natural. O selo mostra um pássaro e um felino... NT


IRLANDA

Nacional Museum of Ireland – www.museum.ie

Em janeiro de 2003 uma nova girafa foi incorporada para exibição, no primeiro andar do Museu de História Natural. Taxidermistas de Venlo (Holanda), passaram mais de quatro dias trabalhando na pele da girafa sobre o modelo (para imitar o corpo da girafa) com considerável atenção nos detalhes. Depois a pele foi grudada e esticada com a mão.

Esta nova girafa foi preparada para substituir uma antiga, a qual se encontrava em exposição desde 1899. A velha girafa tinha sido caçada na África, pelo coronel Plunkett – quem a presenteou ao Museu de História Natural no mesmo ano. A pele da nova girafa veio de um parque alemão de vida selvagem, onde o animal morreu de causas naturais.

Centenas de pessoas vieram ver o trabalho em andamento. Foi promovido um concurso para escolher o nome da nova girafa. Mais de 2.000 sugestões foram recebidas e o nome vencedor foi “Spoticus”, escolhido por Fiachra Kennedy, de sete anos de idade, de Dun Laoghaire, Co. Dublim.

“Spoticus” – a girafa exposta no museu!

volta ao topo

ITÁLIA

– “Adorazione dei Magi” (Domenico, Florença) e “Assunção e Anunciação” (Lippi, Roma) ambas as obras são religiosas e estão dentro de igrejas, e me parece que ambas as girafas retratam aquela que foi de Medici...

Galleria degli Uffizi ou Galeria dos Ofícios – “Virgem no trono” de Giotto di Bondone, “Vênus dormindo” de Giorgione, “Sagrada Família” de Michelangelo, “Autorretrato” e “Madona com pintassilgo” de Rafael, ainda: “A primavera” e “Retrato de descochecido”, ambos de Sandro Botticelli. Outras obras: Virgem com os dois anjos (1465) de Filippo Lippi, Anunciação (1472-75) de Leonardo da Vinci, O batizado de Cristo (1472-75) de Andrea del Verrocchio, A alegoria sagrada (1490-1500) de Giovanni Bellini, Papa Leão X (1513-19) de Raphael.

Museu de História Natural de Milão, fundado em 1838
Museo Civico di Storia Naturale di Milano (www.comune.milano.it/museostorianaturale/)

O Museo Civico di Storia Naturale di Genova (www.museodoria.it) foi fundado em 24/04/1867. Na Sala 9: “Savana Africana”, há duas peças girafídeas em exposição; como mostra a foto abaixo. Nota: A mostra da Noruega, dedicata all’omosessualità nel mondo animale, esteve em exposição neste museu; acho que no final de 2008...

volta ao topo

NORUEGA

Natural History Museum, University of Oslo, Norway
Naturhistorisk Museum – www.nhm.uio.no

Museu de História Natural de Oslo realiza a primeira exposição sobre homossexualidade no reino animal...

A fim de relatar o comportamento homossexual nos animais o Museu de História Natural de Oslo apresentou, em 2006, a primeira exposição dedicada a “animais gays”, que foi chamada de “Against Nature?” ou “Contra a Natureza?”, exibindo cerca de 500 espécies que existem relatos de comportamento homossexual de um universo de 1.500 relatos, desde mamíferos e insetos até crustáceos.

Nos pássaros australianos Galah (Roseate cockatoo), por exemplo, cerca de 44% dos pares são formados por indivíduos do mesmo sexo. Além desses, há registros bem mais antigos, como os de Aristóteles, que fez menção a hienas lésbicas.

Em entrevista à Revista da Folha, o coordenador da mostra Geir Söli disse que “a ideia surgiu depois de analisarmos o livro do biólogo Bruce Bagemihl, 'Biological Exuberance', no qual ele descreve cientificamente a homossexualidade de muitas espécies animais. Acreditamos que essa seja uma forma de contribuir socialmente para a discussão de um tema que ainda causa tanta polêmica”.

Na mostra, na seção de pinguins, por exemplo, fica claro que essa espécie de relação não acontece por falta de opção ou apenas por instinto. “Alguns animais têm plena consciência e às vezes fazem essa opção por alguns períodos de suas vidas”, explica Söli.

“Em 1120, o conselho da igreja escreveu suas primeiras leis, rotularam o homossexualismo como crime contra a natureza. No Renascimento, muitos desses textos tornaram-se leis em alguns países, daí pode-se pressupor como começou a opressão. Podemos ter opiniões diversas sobre muitas coisas, mas, definitivamente, a homossexualidade no reino animal não é contra a natureza”, responde.

Wikipédia – http://pt.wikipedia.org/
www1.folha.uol.com.br/revista (29/10/2006)


Exposição: “Against Nature?”, até 19 de agosto de 2007 (www.nhm.uio.no/againstnature)

A homossexualidade tem sido observada em muitos grupos de vertebrados, e também de insetos, aranhas, crustáceos, polvos e vermes parasitas. O fenômeno foi relatado em mais de 1.500 espécies animais, e é bem documentado para 500 deles, mas a extensão real é provavelmente muito maior. Em algumas espécies, a homossexualidade nunca foi relatada, enquanto em outras a espécie inteira é bissexual. Em jardins zoológicos cerca de 1 em cada 5 pares de pinguins-reis são do mesmo sexo.

A Homossexualidade em animais é conhecida desde a Antiguidade, mas só recentemente tomou importância na Ciência. A causa pode ser uma falta de interesse, ridicularização ou cientistas com receio de perder suas concessões. A primeira menção conhecida da homossexualidade animal é uma descrição de 2.300 anos de idade de hienas, por Aristóteles.

As fotos usadas na exposição foram compradas de agências e fotógrafos de todo o mundo.
A fotografia ao lado mostra um par de girafas machos acasalando à beira da estrada.
Imagem original de Lonely.

Caption: A pair of Giraffes (Giraffa camelopardalis) mating by the side of a road.
Location: Hluhluwe-Umfolozi Park, KwaZulu-Natal, South Africa, Africa
Photographer: Ariadne Van Zandbergen
Dimensions: 3975 × 2650 px, Size: 33.66 × 22.44 cm (13.25 × 8.83 in)
Resolution: 300 dpi / Number: 4287-15 (BN4287_15.jpg)

volta ao topo

POLÔNIA

O Museu da Evolução de Varsóvia (em polaco: Muzeum Ewolucji) é a área de exposição do Museu de História Natural, em Varsóvia, na Polônia.

Reconstrução e descrição de um Sivatherium / Description Sivatherium reconstruction
Muzeum Ewolucji PAN (www.muzewol.pan.pl/historia.htm)

Sivatherium é um gênero extinto de girafa que habitou a África e o sul da Ásia (principalmente a Índia). O sivatério lembrava o ocapi moderno, mas era muito maior e mais pesado, tendo cerca de 2,2 metros de altura no ombro. Ele tinha um par de ossíconos em sua cabeça (como chifres) e um segundo par de ossíconos acima dos olhos. Seus ombros eram muito poderosos para apoiar os músculos do pescoço e levantar a cabeça pesada...

Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Category:Prehistoric_giraffes

volta ao topo

PORTUGAL (www.museusportugal.org)

MIGM – Museu do Instituto Geológico e Mineiro – Museu Geológico
Rua da Academia das Ciências, 19 – 2º (Metrô: Baixa Chiado)
Código Postal: 1200-003 Lisboa – Portugal
www.igm.ineti.pt/document/centros/museu_geologico.html
Museu associado da Rede Portuguesa de Museus – IPM
www.igm.pt (conta suspensa)

Criado pelas primeiras “Comissões Geológicas do Reino”, em 1848, para servir de base à investigação do território e instalado no atual edifício em meados de 1859, o Museu Geológico reúne o mais completo conjunto de coleções paleontológicas e estratigráficas portuguesas, bem como valiosas coleções de minerais e de arqueologia pré-histórica. Encontram-se expostos os melhores exemplares geológicos colhidos e estudados ao longo de mais de 150 anos pelo pessoal desse Instituto e dos organismos que o antecederam (Comissões Geológicas e os Serviços Geológicos de Portugal), nomeadamente pelos pioneiros da Geologia portuguesa Carlos Ribeiro, Nery Delgado, Pereira da Costa, Paul Choffat e Berkeley Cotter, entre outros.

A coleção de Paleontologia, é uma das maiores e mais importantes coleções de referência do MIGM. É constituída por muitos representantes dos principais grupos fósseis de animais e plantas, provenientes das formações portuguesas. Cobre, praticamente, a totalidade dos períodos entre o Câmbrico e o Quaternário.

Foto tirada do site oficial – zona central da sala de Paleontologia e Estratigrafia.

No conjunto, merecem uma referência especial as coleções de vertebrados, a dos grandes mamíferos recolhidos nas formações terciárias dos arredores de Lisboa, com restos de mastodonte, rinoceronte, veado, girafa e tigre dente-de-sabre, a coleção de peixes fósseis, sobretudo constituída por dentes de tubarão de idade miocênica e a coleção de dinossauros e répteis jurássicos, com restos de ictiossaurio e plesiossaurio.

Neste museu, que visitei em dezembro de 2005, existem duas peças da primitiva girafa Paleotragus:

  1. Coroa (dente) de Paleotragus (número da peça 4936), o qual foi encontrado na Borreira das Pombas, em Azambuja (norte de Lisboa). Referência: trabalho publicado por Roman, em 1907.
  2. Metacarpo (em mão, a parte situada entre o punho e os quirodáctilos) de Paleotragus (número da peça: 5731), o qual foi encontrado na Borreira das Pombas, em Azambuja (norte de Lisboa). Referência: trabalho publicado por Telles Antunes, em 1970/71.

Outros museus portugueses:

MNHN – Museu Nacional de História Natural – Lisboa
Rua da Escola Politécnica, 56/58 – Código Postal: 1250-102
Metrô: Estação do Rato (linha amarela) – www.mnhn.ul.pt

O Museu Nacional de História Natural é um organismo da Universidade de Lisboa constituído por três Departamentos: Botânica (Jardim Botânico), Mineralogia e Geologia (Museu Mineralógico e Geológico) e Zoologia e Antropologia (Museu Bocage).

A prática museológica é baseada num espólio científico-cultural, resultado em grande parte de expedições científicas e doações. As atuais instalações ocupam (em conjunto com o Museu de Ciência com o Instituto Geofísico Infante D. Luis) uma área que no século XVII correspondia à cerca do Noviciado da Cotovia com o seu horto. Extinto o Noviciado, foi fundado no mesmo espaço o Colégio Real dos Nobres (1761-1837), a que se sucederam a Escola Politécnica (1837-1911) e a Faculdade de Ciências (1911-1985). A história do MNHN reporta-se à criação dos Gabinetes de História Natural na Escola Politécnica, os quais foram os herdeiros das coleções do Real Museu da Ajuda (1858).

Museu Bocage – www.mnhn.ul.pt/zoologia/zoologia.htm

Uma vasta coleção zoológica representativa da fauna portuguesa e uma ampla coleção antropológica, considerada a segunda mais importante da Europa, constituem o espólio desta área. A maioria deste acervo resulta de um grande esforço de reunião de espécimens após o incêndio de 1978, que dizimou praticamente toda a coleção existente. O Museu possui ainda um importante fundo documental relacionado com a Zoologia e a Antropologia em Portugal desde o século XVIII, que inclui mais de 4.000 documentos. É desenvolvida investigação nas áreas da Zoogeografia e Biossistemática com recurso a marcadores citogenéticos e moleculares, Antropologia, Ecologia e História da Zoologia. Nota: Já vi foto na net com girafa taxidermizada.

Museu da Sociedade de Geografia de Lisboa
Rua das Portas de Santo Antão, 100 (Edifício do Coliseu) – gratuito
Reúne coleções de Etnologia e História, em especial espécies relativas às antigas possessões de África e Ásia.

Museu de Caça de Vila Voçosa – Évora
A coleção é na sua maioria depósito de um colecionador particular – o Eng.º Lopo de Carvalho – que confiou aos cuidados da Fundação as suas coleções de armas de caça, troféus de caça africana e europeias. A coleção de História Natural está instalada na alcáçova do Castelo, no concelho de Vila Viçosa, em Évora.

Museu de História Natural – Porto
Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, Praça Gomes Teixeira – gratuito
É um estabelecimento dependente da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, criado em 1996. Atualmente, a parte expositiva compreende três salas abertas ao público: Sala de Mineralogia Montenegro de Andrade, Sala de Paleontologia Wenceslau de Lima e Sala de Arqueologia e Pré-história Mendes Corrêa.
volta ao topo


REPÚBLICA TCHECA

Localizado na capital Praga, o Museu Nacional, em theco “Národní Muzeum” – Musaeum Nationale, é o maior e mais antigo museu do país. Fundado no ano de 1818, tem sua sede em um edifício de estilo neo-renascentista dos anos 1885-1890 que domina a Praça de Venceslau. Seu interior impressiona com rica decoração em mármore.

Guarda coleções dedicadas principalmente a Mineralogia, Arqueologia, Antropologia e História Natural. O museu tem também um panteão com bustos e estátuas de sábios tchecos, artistas e escritores. Está decorado com muitas pinturas históricas. Visitei em 06/08/2006 e constatei uma girafa empalhada...

Museu Nacional de Praga
Václavské námestí, 68 – 115 79 Praha 1 (metro A, C – estação Muzeum)
nm@nm.cz – www.nm.cz

Galeria Nacional de Praga – A Galeria Nacional de Praga, na República Tcheca, reúne um acervo com mais de 240 mil obras de artes gráficas, mais de 60 mil desenhos, quase 15 mil telas, além de mais de 30 mil peças entre esculturas, objetos de arquitetura e de arte oriental. (www.ngprague.cz)


TURQUIA

Istanbul Museum of Painting

Entrada principal !
Última atualização: 17/07/2013.
volta ao topo

MUSEUS DO MUNDO MAPA GIRAFAMANIA
MUSEUS DO MUNDO