This page is part of © GIRAFAMANIA website / Esta página é parte do sítio GIRAFAMANIA

CAMINHO DE SANTIAGO DE COMPOSTELA

Para quem não sabe, o nome Compostela tem origem na expressão “campus stellae” ou “campo de estrelas”... A história diz que, por volta do ano 813, começaram a ocorrer milagres no caminho que levava a Finisterre... O bispo da Galícia mandou fazer escavações e teria encontrado o túmulo de Tiago, discípulo de Jesus, em um campo iluminado por um arco de estrelas... Por isso ficou conhecida como Santiago de Compostela.


Ao longo dos pouco mais de 800 quilômetros que separam Roncesvalles (Navarra) da cidade de Santiago de Compostela, o viajante percorre todo o norte da Espanha, passando por algumas das províncias mais bonitas do país...

Durante todo o trajeto que bem pode ser encarado como:

... ou simplesmente uma experiência única de uma grande viagem ou ainda uma aventura na qual o cansaço e o imprevisível torna único e singular cada dia...

A credencial possui... campos que deverão ser preenchidos com os carimbos das pousadas oficiais por onde o peregrino passar, pois será essa a comprovação de que a jornada foi cumprida em sua plenitude ou parcialmente, habilitando-o a receber o certificado de conclusão do Caminho, chamado COMPOSTELANA.

Além do itinerário tradicional, vão também se incluindo referências ao Caminho do Norte, o da Costa Cantábrica, provavelmente a rota mais antiga das peregrinações à Compostela, destacando os monumentos mais significativos das Comunidades Autônomas de Asturias, Cantabria e do País Vasco.

O itinerário seguido e o mais tradicional é conhecido como “Camino Francés”, que com duas vias de acesso à Península Ibérica pelos Pirineus, pode iniciar-se em Samport (Huesca) ou em Roncesvales, unificando-se em Navarra na Puente La Reina, depois segue atravessando La Rioja, Burgos, Palencia, León, Lugo e La Coruña, alcançando finalmente a cidade de Santiago de Compostela.

Na “Rota Francesa”, podemos começar pela pacata cidade de Saint Jean de Pied de Port, no meio dos Montes Pirineus, a suave cadeia de montanhas que separa a Espanha da França.

Diz-se que todos os dissabores e problemas a serem enfrentados no Caminho representam as etapas vividas pelos homens, “que buscam o conhecimento superior e a paz interior”...

O Caminho de Santiago ou a Rota Jacobea foi declarado conjunto histórico-artístico no ano de 1962, e a cidade de Santiago foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, em 1985.

Um amuleto em forma de concha gigante, a vieira, comum nos mares da costa espanhola, com o tempo tornou-se o símbolo máximo da peregrinação e é freqüentemente usado por quem faz o caminho...

Gasto – por volta de US$500,00 – refeições e pernoite (maio de 1998).

O que levar – Mochila, saco de dormir, capa de chuva, lanterna, concha, máquina fotográfica etc.

Vestimenta – Calça, bermuda, camiseta, roupa íntima (calcinha, soutien, cueca), meias, agasalho, suéter, “anorak” (agasalho tipo impermeável), chapéu ou boné, bota, sandália de borracha (valia como chinelo e também p/ tomar banho).

Documentos – Saco ou pochete p/ guardar documentos e dinheiro na cintura, credencial de peregrino, passaporte, passagem, dinheiro nota/moeda (peseta e dólar), cheque de viagem, cartão de crédito, guia do caminho, bloco ou papel p/ anotação, caneta.

Utensílios de higiene – Toalha, sabonete em pedra ou líquido, pasta de dente, escova de dente, fio dental, pente, protetor solar, cremes.

Outros – Medicamentos, corda de nylon p/ varal, alfinetes de gancho p/ pendurar roupa, agulha, linha etc.

Nota: Contatos e Expo...

volta ao topo

Contenido del Curso: La actual catedral de Santiago de Compostela, donde se localiza el sepulcro del apóstol Santiago el Mayor, comienza a construirse en 1075 como consecuencia del creciente éxito de la ciudad como meta de la principal peregrinación medieval europea, junto con la de Roma. En el siglo XII el Codex Calixtinus resalta su relevancia en tal sentido. En abril de 1211, momento de su consagración, los peregrinos ya habían convertido la nueva basílica en un espacio ritual en el que manifestaban sus anhelos y alegrías por la llegada a la meta. En 2011, cuando se cumplen 800 años de tal acontecimiento, la catedral compostelana sigue siendo el espacio de referencia, la verdadera meta jacobea, para peregrinos que ahora son ya de todo el mundo.

LINKS E LIVROS DE INTERESSE...

Associaçao de Amigos do Caminho de Santiago
Rua França Pinto, 203 – Vila Mariana, São Paulo (SP) – CEP: 04016-031
Fone: (11) 5549-6160 – aacsbrasil@santiago.org.br – www.santiago.org.br

Associação de Confrades e Amigos do Caminho de Santiago de Compostela
São Paulo – Brasil (Fundada em 1995, emite a credencial do peregrino)
Rua Dona Luiza Tole, 71 – São Paulo (SP) – CEP: 02406-000
Fone: (11) 5549-6160 – aacsbrasil@santiago.org.br – www.santiago.org.br
O Boletim Ultreya, encontra-se disponível no site www.santiago.org.br

Caminho de Santiago de Compostela – O Portal Peregrino
www.caminhodesantiago.com (Caminho de Santiago em bicicleta e a pé)

“Via Láctea – Pelos caminhos de Santiago de Compostela”
Editora: Tempo d'imagens. Autor: Guy Veloso
guyvel@santiago.com.br – www.santiago.com.br

Guia da Peregrinação Sagrada
O Caminho de Santiago de Compostela
Editora: Mandarim – São Paulo (2001)
Autoras: Anna Sharp (asharp@uol.com.br) e Vera Scarpa
(vgscarpa@terra.com.br ou vstur@terra.com.br)

Contém 54 mapas destacáveis
e fotografias de créditos meus!

volta ao topo

Saint Jack (em francês) e o Caminho de Santiago de Compostela...

Um dos doze apóstolos de Jesus Cristo, pescador do lago Tiberíades, irmão de São João Evangelista, filho de Zebedeu e Salomé, escolheu a distante região da Ibéria, uma província do Império Romano, para pregar a palavra de Deus, logo depois da crucificação de Jesus em Jerusalém, no início da Era Cristã.

Ficou ali por cinco ou seis anos e aparentemente, não teve muito sucesso na ocasião e retornou a sua terra, à Palestina, 12 anos após a morte de Jesus Cristo.

Lá, foi perseguido, purgou até a morte, sendo decapitado em Cesaréia a mando do rei judaico Herodes Agripa, que proibiu até mesmo que ele fosse enterrado. Seus restos foram lançados fora dos muros da cidade.

Porém, antes de morrer Tiago pediu a dois de seus discípulos, Atanásio e Teodoro, que enterrassem seu corpo nas terras distantes onde pregara. Seus restos, assim, teriam sido depositados numa tumba de mármore e levados de barco até a cidade de Iria Flavia, hoje Padrón, às margens do Rio Ulla. A viagem seguiu por terra até um bosque chamado Libredón, onde enfim, ele acabou sendo enterrado no ano de 44 d.C.

Passaram-se quase dez séculos, e só em 813 um eremita de nome Pelayo, viajando pelo interior da Espanha, percebeu uma grande chuva de estrelas. Foi até o local onde elas caíam e depois avisou o bispo da região da Galícia, Teodomiro, da existência de um “Campus Stellae”. Segundo os relatos, havia uma estrela fixa que iluminava o local do sepulcro.

O bispo mandou investigar e, após as escavações foi descoberto o jazigo com o nome do apóstolo Tiago. O cemitério então, da época romana, ficou conhecido nos escritos medievais como “El Campo de la Estrella”.

A mando do rei da Espanha Afonso II, o “Casto”, mandou erigir um pequeno templo para proteção da tumba apostólica, uma capela de pedras e um monastério. Assim nascia “São Tiago do Campo das Estrelas”, numa referência às luzes que guiaram o ermitão e que depois inspirou Compostela.

Mas, em 997, o templo foi incendiado pelos muçulmanos e, desta vez o rei Alfonso III, ergueu um novo templo, muito maior do que a capela que havia no local. Tiago transformou-se num “símbolo vivo” da resistência cristã aos ataques muçulmanos no território espanhol.

Após a queda de Roma, se divulgou pela Europa a aparição do sepulcro do apóstolo, e logo se iniciou o movimento de peregrinos até a tumba. Assim, Santiago se consolidou como um dos três centros de peregrinação europeia, junto com Jerusalém e Roma.

Por ele caminharam todas as classes sociais da Europa: santos e pecadores, reis e plebeus, homens de guerra e de paz, etc. Nos tempos iniciais o caminho não tinha um traçado fixo e inalterável. Os primeiros peregrinos deveriam andar através da Cordilheira Cantábrica, e pouco a pouco foi-se fixando uma rota permanente.

A primeira grande peregrinação conhecida deu-se no ano de 951, o bispo Gotescaldo de Le Puy, de uma cidade francesa, saiu a cavalo para visitar o túmulo do santo. Depois disso, no século XI, Le Puy e outras cidades francesas ficaram conhecidas como tradicionais pontos de partida até Santiago. Pessoas de várias partes da Europa passaram a repetir o feito do bispo.

Por todos esses séculos, a Catedral de Santiago de Compostela, onde jazem os restos mortais legendários do apóstolo São Tiago, santo padroeiro da Espanha e que é comemorado no dia de 25/07, passou por uma série de ampliações arquitetônicas.

O primeiro registro oficial sobre os caminhos dos peregrinos Compostelanos data de 1131, que sob encomenda do Papa Calixto II, o sacerdote francês Aymeric Picaud, escreveu o primeiro guia de acesso a Santiago.

O “Códice Calistini” ou “Liber Sancti Jacobi” foi a primeira publicação a ratificar o Caminho a Compostela e descrever todos os passos do trajeto “iniciático” à cidade Santa.

O Centro de Estudos Compostelanos, entidade que estuda e divulga os valores culturais e espirituais do caminho, foi fundada em 1951 para comemorar os mil anos da pioneira peregrinação de Le Puy.

A tradição do Caminho de Santiago como uma das maiores rotas de peregrinação do Ocidente desde a Idade Média, está cada vez mais viva. O que historicamente foi uma das rotas mais importantes de peregrinação cristã, é hoje um dos principais roteiros turísticos da Espanha.
volta ao topo


“Cuando te encuentres sereno y feliz en cualquier parte
cuando todo el mundo sea tu país,
cuando no teniendo nada, pienses que lo tienes todo,
cuando en la opulencia luzcas humilidad,
cuando puedas devolver el mal por bien,
si tienes a tu hermano en cada ser,
cuando apliques que amar es solo dar
sin importar más nada que tan solo dar,
entonces serás un hombre, serás una mujer,
serás un ser que alcanzó la humanidad,
serás un hijo del planeta que alcanzó la meta...”
(Texto anônimo que se encontra no albergue de Belorado).

“Polvo, barro, sol y lluvia
es Camino de Santiago.
Millares de peregrinos
y más de un millar de años.

Peregrino, quién te llama?
Qué fuerza oculta te atrae?
Ni el Campo de las Estrellas
ni las grandes catedrales.

No es la bravura navarra
ni el vino de los riojanos
ni los mariscos gallegos
ni los campos castellanos.

Peregrino, quién te llama?
Qué fuerza oculta te atrae?
Ni las gentes del camino
ni los costumbres rurales.

No es la historia y la cultura
ni el gallo de La Calzada
ni el palacio de Gaudí
ni el Castillo de Ponferrada.

Todo lo veo al pasar
y es un gozo verlo todo
mas la voz que a mi ma llama
la siento mucho más hondo.

La fuerza que a mi me empuja
la fuerza que a mi me atrae
no se explicarla ni yo.
Sólo el de Arriba lo sabe!”

“P , barro, sol e chuva
é o caminho de Santiago...
Milhares de peregrinos
e mais de um milhão de anos...

Peregrino, quem te chama?
Que força oculta te atrai?
Não é o Campo das Estrelas
nem as grandes catedrais...

Não é a bravura navarra
nem o vinho dos riojanos
nem os mariscos galegos
nem os campos castelanos...

Peregrino, quem te chama?
Que força oculta te atrai?
Não são as pessoas do caminho
nem os costumes rurais...

Não é a história e a cultura
nem o galo de La Calzada
nem o palácio de Gaudí
nem o castelo de Ponferrada...

Todo o a passar
e é um gozo vê-lo todo,
mas, a voz que me chama
a sinto muito mais fundo...

A força que me empurra
e a força que me atrai,
não se explica, nem eu...
Só o de lá de cima é quem sabe!”

Texto do muro.
volta ao topo

SÃO TIAGO o canto da história

Filho de Salomé e Zebedeu.
Irmão de São João Evangelista.
Pescador do lago Tiberíades se rendeu
num dos doze apóstolos, foi sua crista.

Escolheu as terras distantes da Ibéria,
uma província do antigo Império Romano.
A palavra de Deus pregou por ineria,
depois da morte de Jesus, a quem serviu como amo.

No início da Era Cristã,
lá, pregou por cinco ou seis anos.
Aparentemente, sua feitura foi vã...
Retornando à Palestina, aos seus contemporâneos.

Foi perseguido, purgou até a morte.
Sendo decapitado a mando do rei Herodes.
Por ora, o enterro sucedeu num corte...
Fora da cidade, seus restos choraram odes.

Seus discípulos: Atanásio e Teodoro
juntaram os despojos numa tumba de mármore.
Viajaram de barco até o derradeiro solo...
Enterraram-lhe no bosque Libredón, ao pé duma árvore.

Naquelas mesmas terras onde Tiago pregara:
cidade de Iria Flavia, hoje Padrón,
às margens do Rio Ulla sua tumba foi esquecida,
sem importância de tempo, como dizia Drummond...

A bruma que tudo embaça,
desde 44 depois de Cristo,
encobriu até com certa graça
parte da história, é isso !

Foi em 813, que um eremita chamado Pelayo,
uma grande chuva de estrelas percebeu.
Foi até onde elas caíam e admirou ressábio
um sepulcro que uma estrela fixa transpareceu...

Assim, o jazigo com o nome do apóstolo,
após escavações, foi descoberto.
O bendito homem prostrou-se em ósculo,
melhor feitio em seu viver incerto...

O cemitério então, da época romana,
ficou conhecido nos escritos medievais
como “El Campo de la Estrella”.

O rei da Espanha Afonso II – o “Casto”,
mandou erigir um pequeno templo
para proteção da tumba apostólica... desarticular o tempo e o espaço

Assim nascia “São Tiago do Campo das Estrelas”,
numa referência às luzes que guiaram o ermitão...

Entrada principal !
Última atualização: 21/12/2013.
volta ao topo

CAMINHOS MAPA GIRAFAMANIA
CAMINHOS