This page is part of © GIRAFAMANIA website / Esta página é parte do sítio GIRAFAMANIA

FAUNA BRASILEIRA

Atualmente (05/2011), existem 23 espécies ameaçadas de extinção no Brasil, segundo o ICMBio (www.icmbio.gov.br/biodiversidade/fauna-brasileira/lista-especies), divididos em cinco grupos.

1. Anfíbio:
Sapinho-narigudo-de-barriga-vermelha – Melanophryniscus macrogranulosus (Braun, 1973). Bioma: Mata Atlântica.

2. Aves:
Arara-azul-de-lear / Lear’s Macaw – Anodorhynchus leari (Bonaparte, 1856). Biomas: Caatinga.
Rabo-de-palha-de-bico-vermelho, grazina ou rabo-de-junco-de-bico-vermelho – Phaethon aethereus (Lineu, 1758). Bioma: Zona Costeira.
Pardela-de-asa-larga ou pardelinha – Puffinus lherminieri (Lesson, 1839). Bioma: Zona Costeira.

3. Mamíferos:
Cachorro-do-mato-vinagre / Bushdog – Speothos venaticus (Lund, 1842). Bioma: Cerrado, Amazônia, Mata Atlântica, Pantanal.
Lobo-guará ou lobo-de-crina / Maned Wolf – Chrysocyon brachyurus (Illiger, 1815). Biomas: Cerrado, Pampa e Pantanal.
Onça-pintada ou onça-canguçu / Jaguar – Panthera onca (Lineu, 1758). Biomas: Cerrado, Amazônia, Mata Atlântica, Pantanal.
Peixe-boi-da-amazônia / Manatee – Trichechus inunguis (Natterer, 1883). Bioma: Amazônia.
primatas:
Guariba ou capelão – Alouatta belzebul ululata (Elliot, 1912). Bioma: Cerrado e Caatinga.
Muriqui-do-norte / Northern Muriqui – Brachyteles hypoxanthus (Kuhl, 1820). Bioma: Mata Atlântica.
GuigóCallicebus coimbrai (Kobayashi & Langguth, 1999). Bioma: Mata Atlântica.
Caiarara ka’apor ou macaco-caiarara – Cebus kaapori (Queiroz, 1982). Bioma: Amazônia.
Mico-leão-da-cara-dourada / Golden-headed Tamarin – Leontopithecus chrysomelas (Kuhl, 1820). Bioma: Mata Atlântica.
Sauim-de-coleira, ou sauim-de-manaus ou sauim ou sagui-de-duas-cores – Saguinus bicolor (Spix, 1823). Bioma: Amazônia.

4. Peixes:
Piracanjuba ou piracanjuva, bracanjuva e bracanjuba – Brycon orbignyanus (Valenciennes, 1850). Bioma: Mata Atlântica.
Surubim-do-paraíba ou surubim – Steindachneridion parahybae (Steindachner, 1876). Bioma: Mata Atlântica.
Vermelha – Brycon vermelha (Lima & Castro, 2000). Bioma: Cerrado e Mata Atlântica.

5. Répteis:
Cágado-de-hoge – Mesoclemmys hogei (Mertens, 1967). Bioma: Mata Atlântica.
Tartaruga-verde, aruanã ou uruanã – Chelonia mydas (Lineu, 1758). Bioma: Zona Costeira.
Tartaruga-oliva ou tartaruga-pequena, xibirro – Lepidochelys olivacea (Eschscholtz, 1829). Bioma: Zona Costeira.
Tartaruga-de-couro, tartaruga-gigante, tartaruga-de-cerro, tartaruga-de-quilha, careba-mole, careba-gigante – Dermochelys coriácea (Vandelli, 1761). Bioma: Zona Costeira.
Tartaruga-de-pente ou tartaruga-verdadeira – Eretmochelys imbricata (Lineu, 1766). Bioma: Zona Costeira.
Tartaruga-cabeçuda, tartaruga-amarela, tartaruga-meio-pente, tartaruga-mestiça, careba-dura, careba-amarela – Caretta caretta (Lineu, 1758). Bioma: Zona Costeira.

Nesta página, observe as indicações para os animais ameaçados de extinção:

não ameaçados
animais em atenção
animais ameaçados
perigo de extinção

MAMÍFEROS

Cerca de 460 espécies de mamíferos brasileiros conhecidas até hoje, cerca de 130 vivem na Mata Atlântica. Possivelmente, 50 delas existem somente alí, ou seja, são endêmicas da Mata Atlântica. O Brasil é o terceiro país do mundo mais rico em mamíferos, perdendo apenas para a Indonésia e o México. Há cerca de 58 espécies de mamíferos brasileiros ameaçadas e 14 delas estão na Mata Atlântica.

Nesta página, os mamíferos estão divididos em 10 ordens (incluindo nomes de espécies não brasileiras, para simples comparação):

I. Artiodáctilos
II. Carnívoros
III. Cetáceos
IV. Quirópteros – Chiroptera (morcegos)
V. Didelphimorphia
VI. Perisodátilos
VII. Primatas
VIII. Roedores (capivaras, cotia, ouriço, ratos)
IX. Sirenia
X. Xenarthra

Para saber mais sobre animais brasileiros ameaçados de extinção, visite o sítio Ministério do Governo – www.mma.gov.br/port/sbf/fauna.html

Curiosidade: “Faunos” são os elementais responsáveis pelo reino animal, cuidando tanto dos animais domésticos, quanto dos selvagens. Analogicamente, podem ser conceituados como os “anjos da guarda dos animais”... No folclore brasileiro os faunos também são conhecidos como “curupiras”...

Algumas Espécies Brasileiras Representadas na Filatelia

04/06/1982 – Série de 3 valores “Fauna Brasileira”, cujos selos mostram: Cr$ 17,00 (tatu-canastra, Priodontes giganteus), Cr$ 21,00 (lobo-guará, Chrysocyon brachyurus) e Cr$ 30,00 (veado-campeiro, Ozotoceros bezoarticus). Picotagem: 11½. Tiragem: 1.500.000 cada. Impressão: Ofsete. Papel: Cuchê gomado. Yvert: 1540/1542. Scott: 1801/1803. Michel: 1901/1903. RHM: C-1261/C-1263.

24/07/1988 – Série de 3 valores “Preservação da Fauna Brasileira – Mamíferos em Extinção”, cujos selos mostram: Cz$ 20,00 (tamanduá-bandeira, Mymecophaga tridactyla), Cz$ 50,00 (ouriço-preto, Chaetomys subspinosus) e Cz$ 100,00 (cachorro-do-mato-vinagre, Speothos venaticus). Artista: Álvaro A. Martins. Picotagem: 11½ × 12. Tiragem: 3.000.000 cada. Impressão: Ofsete. Papel: Cuchê gomado. Yvert: 1880/1882. Scott: 2141/2143. Michel: 2259/2261. RHM: C-1591/C-1593.

05/06/2000 – Série de 4 valores Prevenção do Meio Ambiente – Expo 2000, cujos selos com valor facial de R$ 0,40 centavos cada, mostram: árvores, animal, gato-do-mato e gato deitado... RHM: C-2285/C-2288. (imagem não disponível)

volta ao topo

I) Ordem: Artiodáctilo (Artiodactyla) – Famílias: Bovidae (bovinos, caprinos, ovinos e antílopes), Camelidae (camelos e lhamas), Cervidae (alces, renas e veados), Giraffidae (girafas e ocapis), Hippopotamidae (hipopótamos), Suidae (porcos, porcos-do-mato)

Veado-Bororó
volta ao topo

II) Ordem: Carnívoros (Carnivora) – Famílias: Canidae, Felidae, Herpestidae (suricatas), Hyaenidae (hienas), Mustelidae, Procyonidae

O grupo de mamíferos que se alimentam de carne são chamados de carnívoros. No Brasil, temos 26 espécies de carnívoros terrestres, divididos em 4 famílias. Em uma delas, na família dos felídeos, estão os felinos cuja maioria está na Lista Oficial de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção... Abaixo, as 4 famílias:

1) Canidae – Família dos Canídeos (cães, cachorros-do-mato, chacais, lobos, lobos-guará, raposas)

Cachorro-do-mato
Lobo-guará

2) Felidae – Família dos Felídeos (chitas, gatos, gatos-maracajá, jaguares, jaguatirica, leões, leopardos, linces, pumas, tigres)

Jaguatirica
Onça-pintada

3) Procyonidae – Família dos Procionídeos, os “mascarados” (quatís, guaxinins, juparás, mãos-pelada)

Quatí
Mão-pelada

4) Mustelidae – Família dos Mustelídeos, os “sanguinários”, é dividida em 5 subfamílias que estão espalhadas no mundo inteiro:

a. Mustelíneos (Mustelinae) – grupo em que estão os animais de pele valiosa; com dez gêneros como, arminho, doninha-comum (Ictonyx striatus), doninha-fétida ou toirão (Mustela putorius), doninha-da-líbia (Poecilictis lybica), doninha-de-nuca-branca (Poecilogale albinucha), doninha-da-patagônia (Lyncondon patagonicus), furão (Galictis vittata), furão-de-pés-pretos, glutão (Gulo gulo), grisão-maior (Grison vittatus), grisão-menor (Grison cuja), o semi-arborícola irara (Eira barbara), marta-verdadeira (Martes martes), fuinha (Martes foina), marta-americana (Martes americana), marta-pescadora (Martes pennanti), taira ou eira (Tayra barbara), vison (Mustela lutreola), etc.

b. Milivoríneos (Mellivorinae) – ratel-africano (Mellivora capensis)

c. Melíneos (Melinae) – texugo-europeu (Meles meles), texugo-de-cerdas (Arctonyx collaris), texugo-malaio (Mydaus javanensis), texugo-filipino (Suillotacus marchei), texugo-americano (Taxidea taxus), fuinha (Melogale sp e Mephitis sp)

d. Mefitíneos (Mephitinae) – cangambá (Mephitis mephitis), jaritataca-de-cauda-longa (Mephitis macroura), jaritataca-malhada (Spilogale putorius), jaritataca-anã (Spilogale pygmaea)

e. Lutríneos (Lutrinae) – as lontras estão divididas em seis gêneros: Amblonyx, Aonyx, Enhydra, Lutra, Paraonyx e Pteronura. O gênero principal é o Lutra, com doze espécies no mundo todo. A ariranha (Pteronura brasiliensis) é chamada no exterior de lontra-gigante-do-brasil. Lontras: lontra-de-garras-pequenas (Amblonyx cinerea), lontra-de-pescoço-branco (Aonyx capensis), lontra-comum (Lutra lutra), lontra-marinha (Enhydra lustris).

Para saber mais sobre animais brasileiros carnívoros, visite o sítio Pró-Carnívoros – www.procarnivoros.org.br

A lontra (Lutra longicaudis) é um carnívoro de hábito semi-aquático e solitário (ou aos pares), passa a maior parte do tempo na água (sempre próximo à água em lagos, rios, córregos, igarapés), vindo a terra apenas para dormir. São extremamente quietas e adaptadas à água, andando com dificuldade na terra. É um animal de hábito tanto diurno quanto noturno, mas possui atividade maior à noite, sendo mais ativo no crepúsculo. O corpo e cabeça são alongados e o comprimento total pode chegar a 130 cm. O período de gestação varia de 60 a 65 dias, nascendo de 1 a 5 filhotes. Sua pele é utilizada para a confecção de casacos, por isso é um animal ameaçado de extinção... Pode ser encontrada do México (noroeste) ao Uruguai, Argentina e em praticamente todo Brasil, com exceção da Caatinga. Alguns zoológicos brasileiros mantêm a espécie em cativeiro, cerca de 20 espécimes, aproximadamente. Vivem aproximadamente 20 anos. Hábito alimentar: carnívora (peixes, crustáceos, moluscos e pequenos vertebrados).

Ariranha Lontra
volta ao topo

III) Ordem: Cetáceos (Cetacea) – Famílias: Balaenidae, Balenopteridae, Physeteridae, Pontoporidae

BALEIAS


V) Ordem: Didelphimorphia – Família: Didelphidae (cuícas e gambás)

GAMBÁ ou SARUÊ


VII) Ordem: Primatas (Primates) – Famílias: (babuínos, chimpanzés, gorilas, macacos, micos, orangotangos)

1) Callitrichidae (micos e saguis)
2) Atelidae, Cebidae, Pitheciidae (macacos, bugio, mono-carvoeiro)


IX) Ordem: Sirenia – Famílias: Platanistidae, Trichechidae (peixes-boi)

PEIXE BOI


X) Ordem: Xenarthra – Famílias:

1) Bradypodidae (preguiças)
2) Dasypodidae (tatus)
3) Myrmecophagidae (tamanduás)

Preguiça
TATUS
Tamanduá-Bandeira
volta ao topo

Ordem: Lagomorpha – coelho, lebre

Coelho ou tapiti ou tapeti
Nome científico: Silvilagus brasiliensis
Ordem: Lagomorpha / Família: Leporídeo (Leporidae)
As palavras “tapeti, tapici, tapiti, tepiti” em tupi-guarani significam coelho-silvestre...
Espécie muito semelhante ao coelho comum. Pelagem curta e macia de coloração escura no dorso, mesclado de negro e castanho. Nuca e patas dianteiras avermelhadas. Orelhas longas, inseridas no alto da cabeça. Cauda muito pequena e em formato de pompom marrom na parte superior e pálida ma parte inferior. Partes inferiores brancas. Noturnos terrestres e solitários. São vistos com mais facilidade ao anoitecer em gramados próximos às casas, jardins e plantações. Quando assustados procuram abrigo na vegetação densa, onde passam o dia. Ocorre nas regiões Cento-oeste, Sudeste e leste da região Nordeste.

Nome comum/popular: lebre
Ordem: Lagomorpha / Família: Leporídeo (Leporidae)
Nome científico/Gênero: Lepus europaeus
Nota: A lebre foi introduzida na América do Sul, não é nativa daqui. Ela é originária da Europa.

volta ao topo

OUTRAS AVES e PARQUE DAS AVES

Calcula-se que no Brasil vivem 1.622 espécies de aves, das quais cerca de 620 localizam-se na mata Atlântica. Algumas já estão totalmente desaparecidas. O Brasil possui mais aves do que toda a África do Sul, o Oriente e a Austrália.

E é o terceiro no mundo em número de espécies de aves, perdendo apenas para Colômbia e Peru. Das mais de 100 espécies de aves ameaçadas no Brasil, 78 possivelmente estão na Mata Atlântica.

Arara-canindé e outras araras...
Garça-branca-grande
Papagaio-de-cara-roxa e outros papagaios...
Tucano-toco e outros tucanos...
Tuiuiú ou Jaburu

Veja alguns exemplos, como o biguá, colhereiro, frango-d’água-azul, guará ou cada ave (abaixo) abre uma nova página:

Ema Tuiuiú ou Jaburu Papagaio-verdadeiro
Ararajuba Arara-vermelha-grande ou Arara-piranga Harpia
volta ao topo

Na Classe Reptilia estão inseridas as iguanas, lagartos, teiús, tuataras, jacarés e crocodilos, todas as tartarugas e o enorme conjunto de serpentes. A temperatura corporal dos répteis varia de acordo com o ambiente. Todos possuem coluna vertebral, pele coberta por escamas e respiração pulmonar. A maioria possui coração com três cavidades e coloca ovos. O Brasil é o 4º no mundo em diversidade de répteis, perdendo somente para o México, a Austrália e a Indonésia.

As imagens são detalhes de um bloco dos Estados Unidos emitido em 2003. Do lado direito, anfíbios da Mata Atlântica.

ANFÍBIOS, PEIXES E INVERTEBRADOS

Existem no mundo 3 mil espécies de anfíbios, aproximadamente, divididos em 3 grupos. O grupo dos sapos, rãs e pererecas, o das salamandras e o das cobras-cegas (embora recebam este nome, também são anfíbios). A grande maioria coloca seus ovos em lagoas e córregos, e na fase inicial de vida são chamados de girinos, posteriormente transformam-se em adultos. Algumas espécies possuem veneno armazenado em glândulas ou cutâneo. Porém, não utilizam para caça, estas toxinas são formas de defesa apenas quando são atacados por predadores. Alimentam-se de insetos e outros pequenos animais, contribuindo assim no controle biológico e equilíbrio de espécies na natureza. Texto: Guilherme Domenichelli.

A Mata Atlântica abriga possivelmente 260 espécies de anfíbios, mas pouco se conhece sobre a sua distribuição geográfica, número de indivíduos, conservação etc. O mesmo acontece em relação aos peixes e aos invertebrados. Estima-se, porém, que algumas espécies são muito numerosas.

CARANGUEJOS

Caranguejo é a designação comum às espécies de crustáceos decápodes, de pernas terminadas em unhas pontudas. Todos são caranguejos, exceto aqueles cujas últimas pernas terminam em nadadeiras. Terrestres ou aquáticos, marinhos ou de água doce, vivem, na maioria, em tocas que eles mesmos escavam, alimentam-se de detritos orgânicos, e são utilizados na alimentação humana. Esses Artrópodes também são chamados de auçá, guaiá.

Curiosidade: Na simbologia, o caranguejo é considerado um símbolo do mal na África, por caminhar para trás... Entre os cristãos é um símbolo da ressurreição, por trocar constantemente de casca durante seu desenvolvimento...

05/06/2004 – Bloco da Série Brasil América Upaep “Preservação dos Manguezais e Zonas de Maré” (RHM: B-136). A Mini-folha que destaca a vegetação e as espécies de aves e crustáceos desse ecossistema foi a grande vencedora na Categoria Arte Filatélica. Dezenhada por Álvaro Nunes, esta emissão também foi a terceira colocada na Categoria Popular. Os selos mostram:

1. Colhereiro, cujo nome científico é Platalea ajaja
2. Bem-te-vi (Great Kiskadee), Pitangus sulphuratus
3. Saracura-do-mangue (Little Wood-Rail), Aramides mangle
4. Caranguejo, Chasmagnathus granulata
5. Aratu, Goniopsis cruentata

PÁGINA SOBRE RÉPTEIS e INSTITUTO BUTANTAN

PÁGINA DO BRASIL

Entrada principal !
Última atualização: 17/05/2013.
volta ao topo

ANIMAIS AFRICANOS MAPA GIRAFAMANIA
BRINCANDO