This page is part of © GIRAFAMANIA website / Esta página é parte do sítio GIRAFAMANIA

BUENOS AIRES

Assim como Paris, podemos conhecer Buenos Aires, capital da República Argentina, percorrendo a pé os mais famosos bairros da cidade... O Aeropuerto Internacional Ministro Pistarini de Ezeiza (EZE), mais conhecido como Aeropuerto Internacional de Ezeiza, é o mais importante do país e está situado a 47 quilômetros da Capital Federal. A empresa Manuel Tienda León oferece a cada meia hora um serviço de ônibus que leva até o centro.

Coalhada de suntuosos palacetes e modernos edifícios, Buenos Aires é uma das cidades mais fascinantes e ricas em contrastes do mundo. Uma cidade que tem a sedução do tango, bairros encantadores, o Rio de la Plata, o “pão alfajór” (a melhor marca é a Havana), o jornal “La Nación”, e um centro de negócios muito ativo.

Buenos Aires é uma megalópole com milhões de habitantes, que são chamados de buenairenses, bonaerenses, ou simplesmente portenhos. É uma das maiores cidades do mundo, também a cidade mais elegante e ativa da América do Sul, resumindo de alguma forma a variada e heterogênea (de natureza diferente) essência do argentino.

Seus ídolos são verdadeiros mitos, entre eles estão Evita e Carlos Gardel, por exemplo. O cantor e o escritor mais populares são: Fito Paez e Jorge Luis Borges, respectivamente. A cidade com moderna estrutura e dinâmica atividade, soube conservar suas velhas tradições, suas histórias, seus lugares mais íntimos e seus ônibus antigos, aliás, não se esqueça de dar uma volta nestes ônibus fora de moda da cidade.

Visitas: 05/1997, 08/1998 e 02/2012.

• Publicação na Revista In (Nº 113, dezembro/2000, Ano XIII, seção Turismo, páginas 18 e 19): matéria Mi Buenos Aires querida, por Sérgo Eduardo Sakall.

Não há como negar que a belíssima capital da Argentina possui beleza e charme peculiares, que encontam os turistas. Assim como Paris, podemos conhecê-la percorrendo seus famosos bairros, como La Boca, Recoleta, entre outros. Passar o Reveillon em Buenos Aires é começar o ano de bem com a vida. (...)

volta ao topo

PLAZA DE MAYO

É o centro cívico da cidade onde se encontra os principais edifícios institucionais de Buenos Aires. A Praça de Maio testemunha os fatos mais importantes da história argentina e foi palco dos sucessos históricos mais relevantes e da Revolução de Maio de 1810. No centro da praça está a Pirâmide de Maio (1811), que foi o primeiro monumento construído na cidade em comemoração à Independência e o Monumento de General Belgrano. A praça está rodeada de edifícios emblemáticos, tais como a Casa Rosada, o monumental Banco Nación, o Cabildo, a Catedral, entre outros. Presidentes e seus discursos (na sacada da Casa Rosada), revoluções, protestos sociais, rebeliões, quedas de poder, o anúncio da guerra com a Inglaterra, Eva Perón e uma lista interminável de acontecimentos decisivos para a Nação Argentina. Pontos de interesse neste bairro:

Catedral de Buenos Aires – A Catedral Metropolitana data do século XVIII e, como tantos outros prédios históricos, sofreu diferentes modificações. Neste caso particular, sofreu desabamentos e várias reconstruções até chegar à fisionomia atual de 1823. Seu estilo é neoclássico com 12 colunas de corinto representando os doze apóstolos. No interior, encontra-se o mausoléu com os restos do General Dom José de San Martín, ou Mausoléu do General San Martín – pai da pátria. Avenida Rivadavia e San Martin.

Casa Rosada – A Casa do Governo, mais conhecida como Casa Rosada, construída entre 1860 a 1880, é a sede presidencial desde 1862, sede do governo federal e do poder executivo, onde se pode ver a cerimônia de troca de guardas a cada duas horas. A mudança dos plantões dos Granadeiros (Granadeiros de San Martín) ocorre às 7, 9, 11, 13, 15, 17 e 19hs. O prédio é a união de duas construções primitivas gêmeas, unidas em 1885 por um pórtico central. A histórica sacada é do ano 1900 e para os argentinos representa muito mais do que uma simples sacada, é o símbolo do poder institucional e testemunha dos acontecimentos mais significativos. Foi inaugurada pelo presidente Júlio Argentino Roca em 1902. Famosa pelos discursos do Presidente Perón e sua mulher Evita. Também se pode visitar o Museu da Casa Rosada que possui mais de 10.000 peças históricas relativas aos diferentes períodos presidenciais.

Cabildo de Buenos Aires – O antigo Cabildo é do ano 1600 (1725?), desde então sofreu várias modificações na sua extensão (numerosos arcos) e nos elementos de construção. No Cabildo de Buenos Aires se estabeleceu o primeiro governo crioulo e o primeiro antecedente de emancipação da Espanha, chamada Revolução de Maio, precisamente em 25 de maio de 1810. Isto é, o edifício, diminuído em posteriores reformas, foi sede do governo municipal durante a época colonial e onde se gestou o primeiro governo pátrio em 1810. Hoje, o local abriga o Museu Histórico da Revolução de Maio que registra e conserva muitas peças históricas da revolução. Podem ser vistas, entre outras coisas, a imprensa trazida por Varrei Vértiz no final do século XVIII, por exemplo.

“La Manzana de Las Luces” ou “O Quarteirão das Luzes”, fica a duas quadras do Cabildo e perto da Plaza de Mayo, reúne elementos históricos como a igreja e o colégio de San Ignacio, a mais antiga da cidade, construções de alguns assentamentos jesuítas e os Túneles Coloniales do século XVIII. Fachada neorrenascentista da primeira Universidade de Buenos Aires, fundada em 12/08/1821.

A Avenida de Mayo tem esplêndidas fachadas e cúpulas, inaugurada em 1894, mostra como Buenos Aires era durante as primeiras três décadas do século. Nesta avenida, no número 825, fica o Café Tortoni, de estilo Art Noveau, é a mais antiga cafeteria literária da cidade (1858), onde é servido uma espécie de sorvete chamado merengada, que é delicioso...


CENTRO (Centro, San Nicolas e Monserrat)

O centro concentra a maioria das sedes bancárias, hotéis internacionais e uma grande variedade de lojas, além das propostas culturais e de lazer. Um dos seus atrativos turísticos é a famosa Rua Florida, uma rua de pedestres que possui em toda sua extensão lojas e galerias de todo tipo.

A Avenida 9 de Julio percorre a cidade de lado a lado e é a avenida mais larga do mundo com seus 140 metros de extremo a extremo e 10 pistas. Na sua interseção com a Avenida Corrientes (que une o centro com Chacarita), outra tradicional avenida portenha, endereço de livrarias, cinemas, teatros e casas noturnas, está localizado o Obelisco que rememora as duas fundações de Buenos Aires em 1536 e 1580... El Obelisco (1936), um dos símbolos da cidade, com 68 metros de altura, foi construído para comemorar os 400 anos da chegada dos espanhóis na área do Rio da Prata.

O ponto de interesse mais destacado para os portenhos e os turistas é a Avenida Santa Fé (caracterizada pelas atraentes lojas de roupa, calçado, importantes galerias, cafés e bares), da Praça San Martin até o Jardim Botânico no bairro de Palermo. Recomenda-se percorrê-la em todo seu perímetro já que você encontrará numerosos cartões-postais da cidade. Nesta avenida ficam as vitrines mais cobiçadas e, no número 883/1059, obtém-se informações turísticas para muito que se tem a fazer em Buenos Aires... Já no número 2.020, localiza-se a Confiteria La Mision. Pontos de interesse neste bairro:

Plaza San Martin – Praça histórica, neste lugar estava a única praça de touros de Buenos Aires. Hoje, abriga alguns palacetes, edifícios e hotéis mais significativos da cidade. Endereço do monumento a San Martín e do Palácio San Martín, que é uma mansão de arquitetura francesa, de 8.100 metros cobertos (1909), antiga propriedade da família Anchorena. Na outra esquina, um contraste de estilo, a atual sede do Ministério das Relações Exteriores, uma torre espelhada moderna. Seguindo o mesmo caminho, você poderá observar o Monumento aos Heróis Caídos nas Malvinas, onde estão os nomes dos soldados argentinos mortos em combate durante a Guerra de Malvinas, com a Inglaterra. Também foi marco das invasões inglesas em 1806 e 1807.

A poucos metros desse lugar (atravessando a Avenida del Libertador), encontra-se a Torre dos Ingleses ou Torre Monumental (estilo renascentista inglês), típica arquitetura britânica doada pela sua comunidade na Argentina para o centenário da Revolução de 1816. Na frente, o prédio inglês da Estação Retiro. Retiro foi o nome dado a área da cidade em volta da estação e do museu Retiro (1915). Do outro extremo, podem ser vistas as torres espelhadas da Avenida Alem. De lado, encontra-se o prédio que foi o mais alto da América do Sul em 1936, o Kavannagh, com 32 andares, tudo de concreto e 12 elevadores. A antiga dona vendeu duas de suas fazendas para tombar o projeto, construído em apenas 14 meses.

No lado da Avenida Santa Fé, situa-se o Círculo Militar, e um dos edifícios mais suntuosos de centro, de notável estilo francês (1925) com quase 12.000 metros cobertos. Foi residência particular da família Paz e dentre seus hóspedes aparecem o Príncipe de Gales e o Marajá de Kapurtala. Depois foi vendida ao Exército Argentino. Na mesma esquina, encontra-se o Museu de Armas da Nação, de importantíssimo valor histórico que expõe uma vasta coleção de armas do país e do exterior desde o século XVII até hoje.

Galerias Pacifico & Calle Florida – No cruzamento da Rua Florida com a Avenida Córdoba está localizada a “Galerias Pacífico” (próximo a Praça San Martin), uma valiosa joia arquitetônica e artística onde se destacam seus imponentes murais e a qualidade de ofertas. Trata-se de um antigo edifício que foi transformado em shopping, um dos mais suntuosos shoppings da América, com belos e gigantescos afrescos e maravilhosas pinturas no teto. Dentro da Galerías Pacífico tem uma loja chamada Havana, onde se vende alfajór. No último andar funciona o Centro Cultural Borges (Jorge Luis Borges, 1899-1986, autor de “Aleph”, foi um dos maiores renovadores da literatura hispano-americana) e a escola de balé de Júlio Bocca. Nesta rua, esquina com Paraguay, está o Café Florida Garden (experimente a famosa mousse de chocolate) e no número 340 a suntuosa Livraria El Ateneo. Nota: Carlos...

Teatro Colon – O Teatro Colón (1908) é um prédio de estilo italiano reconhecido por sua excelente acústica e considerado o mais importante teatro lírico da América Latina. Foi projetado pelo italiano Carlos Pellegrini e está entre os mais famosos teatros do mundo, com uma magnífica programação de ópera e dança. Seu lustre central tem sete metros de diâmetro e 700 luzes. No seu cenário têm atuado artistas de prestígio mundial. Dentre os mais notáveis que ali se apresentaram estão o tenor Caruso, os mestres Stravinsky e Stauss, a bailarina clássica Nijinsky, Maria Callas, Pavarotti, entre outros. A temporada acostuma ser de maio a outubro, suas visitas com guias se realizam de segunda a sexta das 9 às 16hs. As entradas são vendidas nas bilheterias laterais e no dia anterior ao espetáculo, das 10 às 20hs. Nota: Na Praça Carlos Pellegrino está a Embaixada do Brasil – Calle Cerrito 1350 (Avenida Nove de Julio).

O outro acesso ao teatro é pela Praça Lavalle onde se pode contemplar outra joia arquitetônica, o Palácio dos Tribunais, de arquitetura monumental, desenhado em 1889. Seus alicerces têm reminiscências romanas, gregas e egípcias. Na esquina com a Avenida Córdoba, localiza-se o belíssimo Teatro Nacional Cervantes de estilo espanhol, foi doado em 1921 pelos Condes de Brazalote quem tiveram que despojar-se de todas suas propriedades para financiar a construção.


SAN TELMO

San Telmo é um canto da cidade cheio de história e personalidade. Foi na metade do século XIX o lugar de residência da classe alta de Buenos Aires. No final do mesmo século, por causa de uma penosa epidemia de febre amarela, seus moradores emigraram para a região norte da cidade (Bairro Norte e Recoleta). Um dos bairros mais antigos, com casas coloniais restauradas chamadas de “conventillos”, é lugar residêncial preferido por artistas e artesãos. Nos anos 70, inicia-se a restauração de uma parte do bairro, rica em estilo arquitetônico, querendo ressaltar a arte, a boemia e os antiquários. Hoje, é um bairro de antiquários e objetos velhos, importante referência do mercado de antiguidades na América do Sul. Possui mais de 500 lojas que oferecem todo tipo de antiguidades e coleções de objetos. Caminhar pelo bairro é voltar no tempo, numerosos bares, pubs e clubes de tango. A sua típica arquitetura colonial, as estreitas calçadas empedradas, as lojas, as ruas de pedra e as antiguidades representam a magia do seu valor histórico. Aqui também se encontram o Museu da Cidade e o Museu Farmacológico. Pontos de interesse neste bairro:

Feria San Telmo (www.feriadesantelmo.com) – Na Praça Coronel Manuel Dorrego ou Plaza Dorrego (centro do bairro), Rua Humberto 1º e Rua Defensa, onde todos os domingos são montadas barracas para celebrar a famosa e pitoresca Feira de Antiguidades de San Pedro Telmo que funciona, geralmente, a partir das 10 da manhã até às 18h30. A feira é famosa no mundo inteiro pela sua excentricidade e a variada oferta de elementos históricos, móveis, porcelanas, óculos, canetas, maçanetas, cartões, tecidos, chaves, câmeras fotográficas, discos de tango, pôsteres, toalhas de mesa etc. Mais de cinco mil pessoas a visitam a cada domingo. Neste local existem vários artistas de rua de todo tipo (plásticos, desenhistas, mimos, músicos e bailarinos de tango, atores, entre outros, que fazem do bairro um espetáculo maravilhoso), e a Igreja de San Telmo. Bar Café Plaza Dorrego, Café La Poesia (esquina das ruas Bolívar e Chile, reduto de poetas e escritores), ou o El Federal (esquina da Peru com a Carlos Calvo) que é um clássico do bairro com três salões, um especial para os fumantes... Não deixe de conhecer o Mercado de San Telmo (Defensa entre Estados Unidos e Carlos Calvo) onde as antiguidades dividem espaço com frutas, verduras e carnes, num peculiar e nostálgico mercado público.

Museo de Arte Moderna – Com uma coleção de mais de 1.500 obras da arte moderna: desenhos, pinturas, fotografias, esculturas e arte alternativa de vanguarda. Você encontrará peças de artistas internacionais como Dali, Matisse, Miró, Kandinsky, Picasso etc. Dentre os argentinos estão Xul Solar, Pettorutti etc. Está localizado em uma antiga fábrica de tabacos.

Museo Historico Nacional – O acervo histórico do país, desde suas origens ao período pré-hispânico. Conta com objetos pertencentes aos grandes próceres da história argentina, mapas, bandeiras, pinturas, móveis, armas etc. Localizado no Parque Lezama, o qual marca a fronteira entre os bairros: San Telmo, La Boca e Barracas. É um dos espaços verdes mais belos da cidade, também oferece, aos finais de semana, uma feira de artesanatos. Daqui se tem uma vista do Rio Riachuelo, rio que desemboca no Rio da Plata. Rua Defensa 1600.

Pasaje San Lorenzo – Que é uma interessante ruela com arquitetura colonial que acaba na Faculdade de Engenharia. Lá você encontrará uma curiosidade arquitetônica chamada de Casa Mínima. Ela mede apenas 2,10 metros formados por uma porta de entrada e uma janela em cima da porta com uma sacada pequena. A casa pertenceu a um escravo liberto depois da abolição da escravidão em 1816. A casa permanece fechada. Só é possível ver a sua fachada.


LA BOCA

La Boca é o antigo porto onde encalharam, no início do século XIX, um numeroso grupo de imigrantes vindos, na sua maioria, da Itália e da Espanha e alguns de outros países da Europa. Ali nasceram os primeiros cortiços, vivendas coletivas que albergavam temporariamente aos recém-chegados. Destacam-se as casas feitas de zinco e madeira pintadas com o sobrante de pintura para barcos, daí a variedade de cores. A paisagem colorida e por ter sido um dos cenários mais populares do tango, música nacional, dão-lhe um selo próprio, pitoresco e de singular melancolia. Pontos de interesse neste bairro:

Vuelta de Rocha – Avenida Pedro de Mendoza e Caminito. Era, naquele tempo (de 1880 até 1930), um ponto de encontro dos primeiros habitantes genoveses (italianos oriundos de Gênova) que se reuniam para evocar a sua terra. Era chamada de “Praça dos Suspiros”. Hoje, funciona nela uma feira artesanal.

Caminito – Tradicional ruela de La Boca, lugar que inspirou o tango homônimo, “O Caminito” (1959), é uma passagem cheia de nostalgia do tango. Antigamente, passavam por ali os trilhos do trem. Hoje é um espaço tradicional de artistas plásticos com a temática de La Boca. Todos os dias das 10 às 18hs.

Museo Quinquela Martin – Nesse prédio residiu e tinha seu ateliê o célebre pintor Benito Quinquela Martin, quem dedicou a sua vida à arte de retratar a beleza nostálgica de um porto e de seus peões imigrantes. Hoje funciona no local o Museu de La Boca. O museu tem uma coleção de mais de 1.000 peças, incluindo pinturas, esculturas e gravuras de prestigiosos mestres, além de ter objetos de veleiros, goletas, vapores e buquês famosos.

Estádio do Boca Juniors – O Estádio de La Bambonera (1940), sede do clube de futebol Boca Juniors, é um dos times mais importantes e populares da Argentina. Pode ser visitado todos os dias das 10 às 18hs. Do lado do estádio existe uma tradicional cantina chamada La Cancha, que serve um maravilhoso marisco.


RECOLETA

Bairro elegante que mais lembra Paris, pois tem uma arquitetura de estilo francês, com lojas, cafés e restaurantes finos. A Recoleta foi concebida no início do século XVIII como um espaço para o retiro e orações de freiras, monges e religiosos franciscanos. Funcionava o Convento dos Padres Recoletos. Tendo sido convento de monges franciscanos no século XVIII e asilo de mendigos da Recoleta no século XIX, foi restaurado em 1980. Em 1732, constrói-se a atual Basílica de Nuestra Señora del Pilar ou Igreja da Virgem del Pilar – joia de arte colonial com altares e imagens barrocas. Só em 1830, redesenha-se o aspecto urbano atual para albergar as numerosas famílias vindas de San Telmo por causa da epidemia da febre amarela. O espaço mais característico da Recoleta é, sem dúvida, o cemitério, famoso pela imponência de seus mausoléus, seu charme e a prosápia (linhagem, ascendência) de quem ali descansa.

Curiosamente, Recoleta é também a zona de maior concentração de opções para o lazer dos jovens da cidade. Destaca-se a elegância e o valor arquitetônico de muitos dos prédios de estilo clássico. Na Avenida Libertador 750 está ocupado por um edifício centenário que foi uma antiga e importante casa de leilões rurais da cidade, hoje, transformada no elegante Pátio Bullrich, o 1º shopping, o mais sofisticado e o mais chique da cidade. A Avenida Alvear é o endereço dos mais luxuosos palácios da cidade. Outro shopping é o Buenos Aires Desing Center Recoleta (1993), está voltado inteiramente a arquitetura e decoração (vale a pena). Há também a Sorveteria Freddo... Pontos de interesse neste bairro:

Centro Cultural Recoleta (centroculturalrecoleta.org) – É um dos centros culturais mais importantes de Buenos Aires. Ele tem exposições de pintura, música, eventos teatrais e toda a arte argentina e internacional. Na frente, situa-se junto ao Cementerio de la Recoleta e a Plaza Intendente Alvear, conhecida como “Plaza Francia” (Praça França). É uma excelente opção cultural. Recomenda-se a visita! Sábados, domingos e feriados das 10 às 21hs. Na Praça França ocorre a feira dos artesãos, Feria de Artesanos (www.feriaplazafrancia.com), que é também ponto de encontro da juventude para reunir-se ou fazer música. Aos sábados e domingos (preferentemente domingo, das 11 às 20hs).

Museo Nacional de Bellas Artes – Possui umas das mais importantes coleções de arte do continente, mestres da pintura do mundo e do país. De Rembrandt e Rubens a Pollock e Rothko, Greco, Goya, Rodin, Manet, Monet, Van Gogh, Degas, De Chirico, Kandinsky, Picasso. Arte argentina: Cándido López, Morel, Pueyrredón, de la Cárcova, Sívori, Malharro, Fader, Guttero, Curatella Manes, Petorutti, Quinquela Martín, Berni, Spilimbergo, Deira, Distéfano, Alonso, Benedit e Seguí, entre outros. Avenida del Libertador, 1.473 e, no número 1.902, fica o Museu Nacional de Arte Decorativa.

Cementerio de la Recoleta ou Cementerio del Norte (1822) – O coração desse aristocrático bairro é a mais luxuosa e relevante necrópole do país, tanto pela exuberância de seus mausoléus quanto pela estirpe dos que ali descansam. Setenta mausoléus foram declarados monumentos históricos. Ocupa uma extensão de quatro quarteirões. Existem verdadeiras obras de arte esculpidas, arquitetônicas, em ferro, bronze e mármore, entro outros materiais. É um passeio habitual e pode-se encontrar guias especializados para a visita. Ali estão os túmulos de Evita ou Eva Perón (um dos mais visitados), Bartolomé Mitre (ex-presidente), próceres argentinos, entre outros.

Curiosidade: “El Zorzal” ou “O Sabiá”, em espanhol, era o apelido carinhoso do portenho para Carlos Gardel (1887/90-1935), o maior cantor de tangos da história. Ele compôs clássicos como “El dia que me queiras” e “Mi Buenos Aires Querido”. Morreu em 1935, aos 45 anos, em um acidente aéreo. Seu túmulo está no Cementerio de la Chacarita (Cementerio del Oeste).

Avenida del Libertador y Figueroa Alcorta – Para dar referência às seguintes opções é necessário percorrer ambas as avenidas em um trecho de 400 metros aproximadamente. Floris Generica: Monumento dinâmico de uma flor de dimensões gigantescas de aço e alumínio que abre e fecha gradativamente suas pétalas da mesma maneira que uma flor natural com a luz do sol. Obra do arquiteto Eduardo Catalano. ATC: Importante rede de televisão estadual. Facultad de Derecho (Faculdade de Direito): Majestoso prédio de estilo arquitetônico monumental. Pertence à Universidade de Buenos Aires. Biblioteca Nacional: A maior biblioteca do país, sob um edifício de estilo vanguardista, com 21 incunáveis (o mesmo que incunábulo: obra impressa que data da origem da imprensa; anterior a 1500, século 15).

Complejo Village Recoleta – Importante centro comercial com cinemas, restaurantes, pubs, cafés, livrarias etc. Ponto de econtra dos jovens.

Gomero – É uma árvore centenária, histórica, de diâmetro gigantesco, uma espécie de ficus que foi plantada entre 1823 a 1870 por Monjes Recoletos, cujos galhos alcançam mais de 20 metros de altura. Está localizada na frente do Café La Biela (Avenida Quintana 600). Vale a pena conhecê-la! Exatamente do outro lado da rua está o Café de La Paix (Quintana 595).


PALERMO

Palermo é o bairro de maior extensão na Cidade de Buenos Aires e com maior número de espaços verdes em parques, bosques e praças. Foi batizado pelos bonaerenses de “Villa Freud” pela alta densidade de psicanalistas que ali se encontram. Antigamente (fim do século XVI) foi um vasto campo de frutas e vides, propriedade de Juan Dominguez Palermo. A ele deve seu nome. Palermo se divide em “Palermo Chico” ou Novo (que se caracteriza pela elegância de suas residências e mansões nas avenidas Figueroa Alcorta e Libertador), Palermo Viejo (velho) e áreas recriadas que são subdivididas nas “jovens” Palermo Hollywood, Las Cañitas e Palermo Soho. Essas últimas se caracterizam por oferecer diversas alternativas gastronômicas: cozinha internacional, pubs temáticos, bares, cafés literários e toda a vanguarda em termos de desenho e moda. É o centro do desenho jovem e alternativo em Buenos Aires.

Mais para o norte encontram-se as lagoas de Palermo, um dos tradicionais passeios e área de lazer dos portenhos, o Jardim Zoológico de Buenos Aires, o jardim botânico, o hipódromo, o estádio de polo, entre outros. O Shopping Center Alto Palermo é enorme e completamente destoante em relação à arquitetura da cidade. Vale a pena também visitar as praças Itália e Alemanha. Pontos de interesse neste bairro:

O Parque do Palermo é um centro de recreação, o “Central Park” do portenho e o maior da cidade, estende-se pelo lado norte do rio e da Avenida Costaneira Norte, que é um dos poucos lugares de Buenos Aires que dá acesso ao Rio de La Plata, também onde se localiza o aeroporto central. Nos Bosques de Palermo, pulmão de Buenos Aires, bosque de 50 hectares aproximadamente, com três lagoas em seu interior. O local é ideal para caminhar, correr, passear de barquinha (passeio oferecido em uma das lagoas), de bicicleta, tomar banho de sol, entre outras atividades. Ali, encontra-se o Rosedal, a ponte, o jardim dos poetas com esculturas dedicadas a escritores famosos, o Pátio Andaluz, doado pelo ajuntamento de Sevilla. Também o exótico Jardim Japonês, o Planetário (1966), o Monumento à Carta Magna e às Quatro Regiões da Argentina (1927), mais conhecido como “Monumento aos Espanhóis”, pois foi doado pela comunidade espanhola no primeiro centenário da Revolução de Maio de 1810.

Jardin Botanico – O antigo Jardim Botânico foi desenhado pelo arquiteto francês Charles Thays, em 1891 (1898?). Contém 8.000 variedades de plantas do mundo inteiro. Abrange um total de oito hectares, nos quais se encontra um importante invernáculo, uma escola botânica e um centro de documentação técnica. Avenida Santa Fé 3951. Entrada gratuita, todos os dias das 10 às 18hs.

Planetario de Buenos Aires Galileo Galilei – O Planetário foi construído pelo arquiteto Jan de Enrique em 1966. Sua cúpula de 20 metros está desenhada para projeção didática da temática astronômica. Formada como um planeta, ela funciona para as diversas projeções. Avenida Sarmiento e B Roldan.


BELGRANO

Belgrano é um elegante e tranquilo bairro de grande personalidade, com importante área comercial e residencial. Sendo também tradicionalmente rico em atividades culturais e comerciais. Possui amplos parques e paisagens bonitas. É parte destacada da história argentina por ter sido provisoriamente sede do Governo Nacional (o prédio atual do Museu Histórico Sarmiento), a capital do país em 1880. Desde faustuosas casas (de estilo anglo-saxão) a importantes torres de apartamentos sobre os barrancos, vistosas butiques, lojas e galerias que se situam na Avenida Cabildo e fazem do bairro um canto muito apreciado da cidade. Conta também com numerosas opções para o lazer, principalmente cinemas, bares, boates, concertos, transformando-o em um espaço sumamente considerado pelos jovens e como centro de compras. El Solar de La Abadia é outro Shopping Center da cidade, foi construído em uma antiga fábrica recuperada. Pontos de interesse neste bairro:

Museo de Arte Español Enrique Larreta – O Museu de Arte Espanhol Enrique Larreta, tornou-se museu em 1962. Situa-se na antiga residência de estilo clássico e colonial (arquitetura neocolonial da segunda metade do século XIX) do escritor Enrique Larreta, autor de “A Glória de Dom Ramiro”. Contém uma interessante coleção pertencente a este famoso escritor e ainda móveis e artes espanholas. Diferentes disciplinas da arte espanhola podem ser apreciadas, tais como móveis, pinturas e cerâmicas dos séculos XVIII a XX.

Museo Historico Sarmiento – O prédio construído em 1880 chegou a ser sede do governo, desde 1938 tornou-se museu em homenagem ao presidente. Conserva o acervo do prócer argentino Domingo Faustino Sarmiento, criador da educação pública e ex-presidente da República. Dentre suas pertenças, encontra-se a biblioteca pessoal com livros da época, móveis e documentos históricos. Avenida Juramento 2291.

Feria Artesanal – A Feira dos artesãos é reconhecida pela qualidade das artesanias em couro, aço, madeira e pintura. Abrange um quarteirão. Está fincada na Praça General Manuel Belgrano (a Praça Belgrano é o centro deste bairro), frente ao Museu Histórico Sarmiento e endereço da Igreja da Imaculada Conceição ou Igreja de La Concepción (1878), mais conhecida como Igreja Redonda devido a sua planta de construção circular, projetada pelo genovês Nicolás Canale, em 1864. Funciona sábados, domingos e feriados das 10 às 20h. Rua Juramento e Vuelta de Obligado, a metros da Avenida Cabildo.

Avenida Cabildo – No cruzamento com a Rua Juramento, concentra-se o núcleo comercial de Belgrano, com lojas de todo tipo, butiques de marca reconhecida, roupa jovem, esportiva, lojas de computação, casas de música, eletrodomésticos, bares, pubs, galerias, cinemas etc. Se quiser fazer compras, recomenda-se andar pela Avenida Cabildo. Metrô: Estação Juramento da linha D.


PUERTO MADERO

Aqui se localiza o antigo porto de Buenos Aires, região leste da cidade, onde as docas foram recicladas em 1989 e transformadas em modernos escritórios, sofisticados restaurantes e lofts residenciais que conservam (embora modernizada) a antiga arquitetura estilo inglês daqueles anos. Puerto Madero representa para Buenos Aires um ponto de encontro ao meio-dia de muitos portenhos, de executivos a funcionários e é, sem dúvida, um dos lugares mais destacados que a cidade oferece ao turismo. Ideal para passeios a pé e, aproveitando seu caminho de pedestres, visitar os cinco diques que conformam Puerto Madero. Pontos de interesse neste bairro:

Fragata Sarmiento – Barco Escola da Armada Argentina, com mais de cem anos de Antiguidade. Faz parte da história da pátria. Foi um dos mais velozes na sua época e precisava de noventa tripulantes para levar o velame. Seu nome deve-se ao promotor da marinha, educador e presidente argentino Domingo Faustino Sarmiento.

Corbeta Uruguay – É a nave mais antiga. Foi barco escola da Armada Argentina. Atrai a admiração do mundo quando, em 1903, emprende a missão resgate à Antártida dos náufragos da expedição científica sueca comandada por Otto Nordenskjold. Ao mando do tenente Jualián Irizar.

Puente de la Mujer – A Ponte da Mulher está localizada no dique 3 de Puerto Madero, obra do arquiteto espanhol Santiago Calatrava Valls. Respresenta na abstração, a figura de um casal que dança tango. Tem 160 metros de comprimento, 39 de altura e 5 metros de largura. É também giratório para o passo de embarcações.

Complejo de Restaurante, Pubs e Cinemas – Ao todo são mais de 40 restaurantes de primeiríssimo nível, um ao lado do outro. De cozinha internacional a churrascarias, massas e peixes. É uma área gastronômica e de passeio tradicional para o turismo.

Reserva Ecologica – A Reserva Ecológica Costanera Sur é um ecossistema de 350 hectares com banhados, lagoas e espécies animais e vegetais. É ideal para, a metros da cidade, espairecer em um lugar totalmente silvestre. Ideal também para caminhar, passear de bicicleta, apreciar seu estado natural. Pequenos animais silvestres podem ser vistos, tais como capivaras, perdizes, aves, pequenos lagartos etc. De 3as a domingo das 8 às 18h. Entrada gratuita.


Congresso

A Plaza del Congresso (1914) é uma das maiores praças e o marco zero das estradas argentinas. Ela abriga o monumento Fontaine, uma grande fonte, e o monumento a “Los Dos Congressos”, construído para os congressos de 1813 e 1816. Aqui está também o Palácio do Congresso Nacional (1906), sede do Congresso Bicameral e sede do governo legislativo. Projetado pelo arquiteto italiano Víctor Meano, é palco das agitações políticas da cidade. Em uma das esquinas da praça está a Confeitaria del Molino, outro expoente do estilo Art Noveau, e uma réplica da escultura “O Pensador” de Rodin.


Olivos

Vá até o bairro de Olivos, cerca de trinta minutos do centro. Veja a residência Oficial Olivos, a casa do presidente, que fica a uma quadra da estação Maipú; e, na Avenida Maipú, embarque no Trem de La Costa, que tem como ponto inicial a estação Maipú e o ponto final é no Delta do Rio Tigre (15 quilômetros, aproximadamente).

Tren de La Costa (Maipú – Delta) – Estação final da linha Mitre. Ingresso: segunda a sexta, com direito a parar em qualquer estação o tempo que quiser e depois prosseguir viagem. Durante a viagem, pare na estação de San Isidro, e conheça a Catedral de San Isidro. Chegando na estação final, existe um parque de diversões “Parque de La Costa”, uma feira de artesanatos e outra de frutas.

Embarque em uma das catamarãs, embarcações que percorrem vários canais e passa por diversas ilhotas onde se vê bonitas casas em estilo palafita. A cidade de Tigre é o ponto de partida para visitar as ilhas que compõem o Delta do Paraná, na sua desembocadura no Rio de la Plata. Existe a possibilidade de navegar até uma delas e, especialmente, à de Martín García, reserva natural e histórica.


Balvanera

Estação Terminal de Trem Once – Plaza Miserere
Hotel Esperia – General Urquiza 222 – Capital Federal 1215

Diversos: O Complexo Catalinas, com suas torres envidraçadas de multinacionais, é a parte moderna da cidade. Porto de Vicente Lopez – O Museu do Transporte, que conserva o avião espanhol “Plus Ultra”, primeiro em cobrir a travessia do Atlântico (creio que fica na parte oeste da cidade, Olivos?)... Mississipi River – É um barco que propõe um atraente passeio com intenção de mostrar os contrastes da grande cidade. As saídas são de Dársena Norte... Bonde – Parte da rua Bonifácio esquina com Mitre, próximo ao Parque Chacabuco... Shopping Maall – Alta Avellaneda.

Casas de Tango em Buenos Aires, todas com Show de Tango e Jantar:
COMPLEJO TANGO (www.complejotango.com.ar), Av. Belgrano 2608 –
CAFÉ DE LOS ANGELITOS (www.cafedelosangelitos.com), Av. Rivadavia 2100 (esq. Rincón) – Balvanera. Próximo ao Congresso; tem palco alto (ganhei fôlder da agência Quality Travel).
OPERA PAMPA (www.operapampa.com.ar), Av. Sarmiento 2704 – (ncluye aula de tango)
EL VIEJO ALMACÉN (www.viejo-almacen.com.ar), Balcarce 799 (esq. Independência) – San Telmo. Lugar minúsculo, de pouco conforto, mas o espetáculo é bom.
SABOR A TANGO (www.saboratango.com.ar), Tte. Gral. Perón 2535 –
PIAZZOLA TANGO (www.piazzollatango.com), Florida 165 – San Martín 170, Galería Güemes –
EL QUERANDÍ TANGUERÍA (www.querandi.com.ar), Perú 302 – (através do sítio pareceu ser muito bom...)
TANGO PORTEÑO (www.tangoporteno.com.ar), Cerrito 570 –
ESQUINA CARLOS GARDEL (www.esquinacarlosgardel.com.ar), Carlos Gardel 3200 – Barrio del Abasto.
SEÑOR TANGO (www.senortango.com.ar), Vieytes, 1655 – Barracas. Nota: Conheci em 08/1998.
LA VENTANA (www.laventanaweb.com), Balcarce 431 – San Telmo.
BAR SUR (www.bar-sur.com.ar), Estados Unidos 299 (esq. Balcarce) – San Telmo. Todos os dias das 20 às 2hs. Lugar simples e intimista...

ROJO TANGO (www.rojotango.com), Show de tango que é exibido no Teatro El Cabaret, do Faena Hotel (www.faenahotelanduniverse.com), Martha Salotti 445 – Puerto Madero. A proposta de jantar-show se desenvolve em um lugar bem íntimo que representa um cabaré de Buenos Aires dos 1900. Se for jantar, pedir para ficar na primeira fila ou, se o gargarejo já estiver ocupado, nas mesas mais altas ao fundo da sala. Quem vai só para ver o show não tem essa possibilidade de escolha. Nota: Carmen. Jantar Show USD $ 270 dólares por pessoa. Todos os dias o jantar começa às 20h30 e é um menú à carta que consta de entrada, prato principal e sobremesa com várias opções para eleger.

Dica do autor: Na Casa da Província del Chubut (Sarmiento 1172), obtém-se informações sobre a Península Valdés. Nota: Banco do Brasil está na Calle Sarmiento 487.


Roteiro da viagem:
18/02/2012 (sábado): Chuva e possibilidade de trovoada durante a noite (chuva 36 mm, vento 11 km/h): min 24°C, 32°C max. Pegamos mamãe às 15 horas. Deixamos o carro no Airport Park (airportpark.com.br) por cinco dias, pois era mais barato do que ir e voltar do aeroporto de táxi. Voo QR 921 Guarulhos 18h45 / Buenos Aires 21h30. Transfer da Visual Turismo Ltda. desde o aeroporto até o Hotel Salles (hotelsalles.com.ar), localizado em Cerrito 208, Ciudad Autónoma de Buenos Aires – Argentina. Este hotel tem vista panorâmica da Avenida 9 de Julho e do Obelisco; bem próximo está a tradicional Avenida Corrientes.
19/02/2012 (domingo): Tempo fechado e chuvoso (chuva 36 mm, vento 4 km/h): min 22°C, 26°C max. Na parte da manhã caminhamos até a Feira de San Telmo. Passamos pela Praça de Maio, Casa Rosada, Catedral, entre outros pontos turísticos. Táxi até o La Cabaña (www.lacabana.com.ar), Avenida Alicia Moreau de Justo 380 – Puerto Madero (recomendaram pedir o Gran baby beef, o qual eu não gostei porque não tinha tempero algum, embora a carne estivesse macia). Na parte da tarde: táxi até a feira de artesanato na Praça França – Recoleta. Visitamos o Cemitério, o centro cultural, o shopping Buenos Aires Design e, por último, o Pátio Bullrich (quando mamãe assustou uma senhora na rua para pedir informação).
20/02/2012 (segunda-feira): Tempo nublado, com chuvas isoladas ao longo do dia (chuva 16 mm, vento 12 km/h): min 18°C, 24°C max. Fizemos o city tour da empresa Visual pelo centro da cidade, desde às 9 horas até às 14h, aproximadamente. Passeamos pelo centro da cidade; soubemos que há o palacete em que mora o embaixador, o Consulado e a Embaixada do Brasil (Calle Cerrito 1350); visitamos o Caminito, em La Boca; entre outros pontos turísticos. Foi ótimo. Voltamos ao hotel com o transporte gratuito do Abasto Shopping. Às 20 horas fomos ao Show de Tango com Jantar na casa Rojo Tango. Incluso (transporte privado): traslado Hotel Salles / Rojo Tango / Hotel Salles, jantar (bebidas: champagne, vinho, cerveja, bebidas sem álcool e café) e show de tango.
21/02/2012 (terça-feira): Sol (chuva 3 mm, vento 17 km/h): min 17°C, 23°C max. Fomos a pé até a estação Onze para tomar o ônibus até Luján. Vistamos a Basílica e o Zoo de Luján. Voltamos de táxi a Buenos Aires e andamos pelo centro da cidade: na Florida (Galerias Pacífico), entre outras ruas.
22/02/2012 (quarta-feira): Tempo nublado (chuva 6 mm, vento 13 km/h): min 18°C, 24°C max. Logo cedo visitamos o Teatro Colon. Depois fomos até a Praça de Maio comprar a bola do Enzo. Tomamos um táxi até a Plazoleta Cortázar – coração do Palermo Soho, com muitas lojas, cafés e restaurantes. Táxi até o MALBA: conhecemos a sua coleção de arte latino-americana e contemplamos o “Abaporu”. Táxi até Puerto Madero, onde almoçamos no restaurante recomendado que não gostamos: La Bisteca. Transfer do hotel para o aeroporto às 20 horas. Voo QR 922 Buenos Aires 23h15 / Guarulhos 03h05.

Nota: Adquiri duas girafas de pedra (agua marina orix, araqonita, segundo anotação da vendedora), em 21/02/2012, na loja ASPA Piedras Argentinas (piedrasargentinas@hotmail.com), de Santiago Gesualdo S.R.L., Av. del Libertador, 1.130 – El Calafate, Pcia. de Santa Cruz – Argentina.

O voo pela Qatar Airways para Buenos Aires foi ótimo: bom espaço com ótimo jantar. Muito superior ao amendoim da Gol... (rs) O problema foi a reserva de assentos... que no check-in da ida não teve jeito de colocar nós 3 juntos... Naquele momento fui até a loja da Qatar para já reservar os assentos da volta; mas também não teve jeito... A companhia disse que o problema foi da Visual Turismo que tinha reservado os assentos para um grande grupo... Enfim, tanto na ida quanto na volta eu pedi para trocar de assento com outros passageiros dentro do próprio avião e ambos os problemas foram resolvidos... Achei chato isso porque o problema não foi só meu... além de colocarem eu separado de minha mãe, havia um casal que estava separado de seus dois filhos... foi com eles que eu troquei os assentos... O hotel foi ótimo. Bem localizado e ótimo café da manhã. Adorei a questão de poder permanecer no hotel até as 20 horas – horário em que o transfer ao aeroporto veio nos apanhar. Osvaldo me parece que você teve dificuldade de encontrar um pacote para assistir ao Rojo Tango, no entanto naquele papel de dicas continha essa casa de show... só depois que eu vi isso... Infelizmente você não conseguiu assentos na primeira fileira, como eu havia pedido... portanto não deu para ver os pés dos dançarinos como eu gosto porque o palco daquela casa deixa a desejar... é muito baixo... aliás, o lugar do jantar e do show, no Teatro El Cabaret, do Faena Hotel, não condiz com o restante do hotel que é maravilhoso... É tão discrepante isso, na minha opinião, que o espaço físico e a sofisticação dos banheiros localizados fora do teatro, mas logo na entrada, são de um luxo absurdo em comparação ao interior do pequeno e apertado teatro... Entretanto isso foi superado pelo maravilhoso jantar!

Museo Argentino de Ciencias Naturales (14 a 19 hs). La línea B de subterráneos que sigue la traza de la Av. Corrientes, tiene a 5 cuadras (500 m) del Museo la estación Ángel Gallardo; en el cruce de las avenidas Corrientes y Ángel Gallardo.

Página Turismo

Entrada principal !
Última atualização: 25/07/2013.
volta ao topo

ARGENTINA
PAÍSES AMERICANOS