This page is part of © GIRAFAMANIA website / Esta página é parte do sítio GIRAFAMANIA

REPÚBLICA DE CABO VERDE (05/07/1975)
ex-Colônia Portuguesa

Lema: “UNIDADE – TRABALHO – PROGRESSO” (português). O Brasão de Armas foi adotado em 1992. Nota: O mesmo lema em Burundi, Cabo Verde, Chade e Congo.

O selo postal “Cap-Vert” (WNS nº. UN220.06) foi emitido pela Organização das Nações Unidas (Post United Nations Geneva) em 5/10/2006 e compreende uma série de oito valores sobre “Coins and Flags”, ele mostra a Bandeira Nacional da República de Cabo Verde.

Área: 4.033 km².

Republic of Cape Verde – République du Cap Vert
Capital – Cidade da Praia.
Religião – Cristianismo (católicos 93,2%, protestantes e outras 6,8%) 1991.
Moeda (numismática) – escudo cabo-verdiano. Cédulas: 5, 2 e 1 mil, também 500 e 200 escudos. Moedas: 100, 50, 20, 5 e 1 escudo. A cada mil escudos, tem-se um conto. Então, 10 mil escudos = 10 contos. A plavra “escudo” deriva do latim “scutum” que parece significar ou mostrar um domínio através do Brasão de Armas... Esse sistema monetário também foi utilizado em Portugal.

Governo – O governo da Nação é composto pelo Presidente (que é como se fosse um rei, apenas representante do país em questões internacionais, etc), Primeiro Ministro, ministros e deputados da nação (lá não dizem “federal”). Em cada cidade tem a Câmara Municipal e quem governa a cidade é o Presidente da Câmara (não tem prefeitos) e existem os vereadores. Não há governador nem senador, também. Os cargos eletivos são cumulativos, ou seja, quem se candidata a um cargo de deputado pode, normalmente, concorrer à Câmara Municipal. Portanto pode haver um vereador/deputado, como o Hermes, que fica 15 dias em Mindelo e outros 15, na Cidade da Praia.

Ex-colônia portuguesa, o arquipélago de Cabo Verde é formado por ilhas de origem vulcânica, com litoral rochoso, na zona equatorial do oceano Atlântico, a cerca de 500 quilômetros da costa da África. Por sua posição geográfica, a meio caminho da América do Sul e da Europa, é importante escala em rotas aéreas e marítimas.

A seca, que atinge o país por prolongados períodos, já causou a morte de mais de 200 mil pessoas desde o início do século. Muitos habitantes optam pela emigração.

Também por não existir faculdade, ao término do Liceu (o ensino médio) quem pode, continua os estudos em outros países... Brasil, Portugal e EUA são os destinos mais procurados. O dinheiro enviado pelos cabo-verdianos que vivem no exterior é um importante suporte econômico.

O povo continua saindo para estudar, mas a maioria volta... Por outro lado, como CV é considerado um país de grande cultura, tranquilidade e próspero, muitos estão vindo da costa da África, principalmente das Guinés e do Senegal...

As ilhas estão divididas em 2 grupos: Barlavento e Sotavento. A palavra sotavento significa bordo contrário àquele donde sopra o vento; antônimo: barlavento – direção de onde sopra o vento (nota: Leeward).

A música cabo-verdiana é da melhor qualidade. São vários os rítmos do país e o batuque tem um apelo que não dá pra ficar parado... A Lura, a Mayra, o Dudu... são todos incríveis. A sensação do momento é o Ferro Gaita, que toca um tipo de forró, com outro tempero...

Mas a eterna “diva” é a cantora Cesaria Evora (mostrada no bloco abaixo, emitido em 2003) que canta “mornas” e “coladeiras” como ninguém!

volta ao topo

História

Desabitado até meados do século XV, Cabo Verde foi descoberto em 1460 e é colonizado a partir de 1462, por Portugal. Em 1466, passa a monopolizar o tráfico de escravos da Guiné e, até a metade do século XIX, abastece a economia do sul dos EUA, Caribe e Brasil.

O fim do tráfico negreiro provoca sua decadência econômica, que leva à emigração maciça dos habitantes no século XX...

Com o surgimento dos movimentos de libertação nacional na África, o país vincula-se à luta pela independência da Guiné Portuguesa, atual Guiné-Bissau, formando, em 1956, o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), liderado pelo cabo-verdiano Amilcar Cabral.

“Sampadjudos e Badios”

No início todos os que chegavam em Cabo Verde desembarcavam na Ilha de Santiago, na Cidade Velha. Lá era o entreposto português e pra lá iam e partiam os navios transportando escravos, comidas e tudo mais.

Os portugueses povoaram todas as ilhas, de modo a manter sua posse. Com isso, enviaram pessoas às ilhas, para que as habitassem. Tais pessoas estavam, de certa forma, ajudando àqueles que ficavam na Cidade Velha e, a partir daí, foram apelidados de “sampadjudos”, que quer dizer “sempre ajudam”.

Outros dizem que em Santiago havia de tudo. Chovia e a agricultura era forte, havendo sempre excesso de produção. Então colhiam apenas o necessário e o restante deixavam na lavoura e permitiam aos que chegavam à ilha, que colhessem e utilizassem o que precisassem. Dessa maneira, diziam a eles que “sempre os ajudaram”.

Já os ex-escravos que ficaram na Ilha de Santiago, após a abolição da escravatura, recusavam-se a trabalhar para os antigos senhores. Viviam da pesca e alguma cultura. Considerados “preguiçosos”, eram chamados pelos portugueses de “vadios”... Como naquela época já começavam a falar o dialeto crioulo, transformaram o “vadio” em “badio”. Assim, quem nasce na ilha de Santiago, é “badio”. De qualquer forma, todos os que nascem nas outras 8 ilhas, são denominados “sampadjudos”.

A independência é proclamada em 1975 como consequência da Revolução dos Cravos, que derrubara a ditadura em Portugal. Cabo Verde e Guiné-Bissau constituem Estados separados, mas sob direção de um mesmo partido, o PAIGC – de orientação marxista.

A unificação é interrompida em 1980 por um golpe de Estado na Guiné-Bissau, em que o presidente, Luis Cabral, cabo-verdiano, é deposto.

O governo de Cabo Verde condena o golpe; a ala cabo-verdiana do Paigc separa-se e passa a se chamar Partido Africano da Independência de Cabo Verde (Paicv).

Aristides Pereira é o primeiro presidente e exerce o poder até 1991. O regime de partido único é abolido em 1990 em virtude da pressão popular pela adoção do pluralismo político.

O oposicionista Movimento para a Democracia (MPD) elege presidente Antônio Mascarenhas Monteiro, em 1991. Seu líder, Carlos Veiga, assume como primeiro-ministro, com um programa de reformas liberalizantes e reforço da economia de mercado.

O MPD tem a maioria nas eleições legislativas de dezembro de 1995 e, nas presidenciais de fevereiro de 1996, Monteiro, candidato único, é reeleito.
volta ao topo


Rigobert Bonné (1727-1788) sucedeu Jacques Nicolas Bellin como hidrógrafo de “Depôt de la Marine”, em 1773. Seu mapa das ilhas de Cabo Verde foi publicado no “Atlas Encyclopédique” (1787-1788). O detalhe no selo, com gravura francesa do século XVIII, é o mapa do Porto de Praia.

Selos de 1988, abaixo mapa do Capitão Roberts, em gravura inglesa do século XVIII.


FILATELIA

Crioulos 71%, grupos étnicos autóctones 28%, europeus ibéricos 1% (1996), compõem a população (meio milhão de pessoas, 1997) de nacionalidade cabo-verdiana. O idioma oficial é o português, mas também é falado como idioma local (língua natural) o crioulo – uma mistura do português com palavras africanas ocidentais, com maneiras diferentes de pronúncia nas ilhas que compõem o arquipélago.

Não há o ensino do crioulo a não ser no convívio familiar e ainda não conseguiram acertar a grafia de algumas palavras, já que há divergência na forma de pronunciar em várias ilhas... Até que “sampadjudos” e “badios” cheguem em um acordo, cada um escreve como quer...

Por exemplo: “você”, em criolo de S.Vicente, é “bô”. Em criolo de Santiago, é “bu”. Exemplo: “Cabo Verde nha cretcheu”, que significa Cabo Verde é o meu amor, ou eu amo CV.

Em 1996, Cabo Verde participa da criação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, junto com Brasil, Portugal e cinco países lusófonos africanos.

► “Girafa” em diferentes línguas nas Ilhas de Cabo Verde – girafa (português) – ? (crioulo)
► Não existem girafas em ilhas...

volta ao topo

Outras emissões:
2004 – Acácia

Standard ISO: CV – Adesão UPU: 30/09/1976
Entidade governamental: Ministério das Infra-estruturas e Telecomunicações
Operador designado para cumprir as obrigações decorrentes da adesão à Convenção da UPU: Correios de Cabo Verde
Regulador independente distinto da entidade governamental: Agência Nacional das Comunicações

CCV – Correios de Cabo Verde, S.A.R.L. – Filatelia
C.P. 220, Praia – Santiago – Republica de Cabo Verde
correioscv@cvtelecom.cv – www.correios.cv

Localização do país – Oeste da África. Cabo Verde é um grupo de ilhas ao Norte do Oceâno Atlântico, oeste de Senegal. O arquipélago é formado por 10 ilhas (mais 5 ilhotas), sendo 9 delas habitadas e a Ilha de Santa Luzia, desabitada.

Divisão administrativa – 9 ilhas e 14 condados. A divisão postal do país têm 9 regiões com agências postais:

  1. Ilha de Santo Antão
  2. Ilha de São Vicente – com apenas uma cidade, Mindelo (pronuncia-se “mindêl”), que tem cerca de 80 mil habitantes (2006), mas também existem algumas pequenas vilas e aldeias. Casario tipo colonial, com ruas e calçadas de pedra. O Centro Cultural fica na Rua da Praia, no antigo prédio da Alfândega. Distâncias aproximadas entre S.Vicente/Santantão (uma hora de barco) e S.Vicente/Santiago (45 minutos de avião). Baía das Gatas, onde acontece o Festival de Verão (julho ou agosto), com uma linda praia. É nesta ilha que não chove há décadas e tem seu interior coalhado de casas abandonadas...
  3. Ilha de São Nicolau
  4. Ilha do Sal – com Loja dos Correios no Aeroporto Internacional “Amilcar Cabral”.
  5. Ilha de Boa Vista
  6. Ilha do Maio
  7. Ilha de Santiago – com 5 cidades, sendo a principal e maior delas a capital, Cidade da Praia, com mais de 100 mil habitantes, Cidade Velha (quase destruída pelo pirata Drake)...
  8. Ilha do Fogo
  9. Ilha da Brava

Abaixo, o cartão-postal dos anos 20 mostra “Ilheu dos Pássaros”, vista da cidade de Mindelo, na Ilha de São Vicente. O ilhéu é a imagem central e, ao fundo, vê-se a Ilha de Santo Antão.

“Santantão” é uma outra ilha, não faz parte de S.Vicente, acontece que é bem próxima e, quando a vemos, temos a impressão, realmente, de que se trata de outra parte da própria Ilha de São Vicente.

Nota: Agradeço a correção e as informações desta página, recebidas de Júnia, em 31/12/06.

Hermano Mariano Almeida
Rua Serpa Pinto, 71 – Caixa Postal: 576 – Plateau Praia – Cabo Verde
Nota: ex-funcionário dos Correios e amigo do Julio.

Entrada principal !
Última atualização: 02/07/2013.
volta ao topo

ZIMBÁBUE PAÍSES DA ÁFRICA
ILHAS COMORES